James Damore, ex-funcionário da Google, parece estar tendo uma semana bastante movimentada. Após ter sido demitido da empresa por publicar um manifesto antidiversidade que ia contra as políticas inclusivas da empresa, o engenheiro recebeu uma oferta de emprego de ninguém menos que Julian Assange, criador do WikiLeaks.

Agora, Damore vai receber o apoio da extrema direita norte-americana, que pretende realizar passeatas até os escritórios da Google para protestar contra sua demissão, considerada por ela uma quebra da liberdade de expressão. O engenheiro foi desligado da empresa por ter afirmado, entre outras coisas, que mulheres só não entram mais no mundo da tecnologia por um obstáculo biológico, e não por práticas de preconceito e descriminação.

Possíveis escritórios da Google que devem receber a marcha

Marchando contra a Google

Segundo o site #MarchOnGoogle, pelo menos cinco dos inúmeros escritórios da Google deverão ser visitados por manifestantes no próximo dia 19 de agosto. Eles também estão tentando entrar em contato com o próprio James Damore, para que ele participe da marcha e ainda devem realizar um concurso de memes para “desmoralizar” a empresa que, segundo eles, estaria censurando seus funcionários.

“A Google é um monopólio e está abusando do seu poder para silenciar dissidentes e manipular resultados eleitorais. A sua empresa, o YouTube, está censurando e silenciando vozes dissidentes, criando ‘guetos’ para vídeos que questionam a narrativa dominante. Por isso, vamos marchar contra a Google!”, é o que afirma o site oficial do evento.