Você já deve ter visto várias pesquisas mostrando que o preço dos iPhones vendidos no Brasil é um dos mais altos do mundo. Comparando com os principais mercados do mundo (Estados Unidos, Europa e Japão), isso fica ainda mais evidente.

O que poucos imaginam é como esse preço fica quando é comparado com a renda média dos brasileiros. Pois foi exatamente esse estudo que o Chetaah Global Lab decidiu fazer para nos mostrar como é a relação.

O instituto de pesquisas analisou os mercados dos seguintes países: Brasil, México, China, Japão, Austrália e Estados Unidos. Além de utilizar os preços dos iPhones mais baratos (versão 6s de 16 GB de armazenamento), eles também fizeram a relação disso com a renda per capita anual dos países já mencionados.

Com base nesses números, o Chetaah Global Lab chegou à conclusão de que o iPhone 6s de 16 GB com valor de US$ 1.264 (preço adaptado ao Brasil) representa 14,8% da renda per capita anual do país (que seria de US$ 8.538,60). Aqui no TecMundo, fizemos a adaptação também para o modelo mais caro (iPhone 6s Plus de 128 GB) e a margem subiu para 17,57%.

Isso significa que um brasileiro com a renda média precisaria usar o salário de 2,1 meses para que pudesse comprar um iPhone 6s Plus de 128 GB — ou o salário de 1,77 mês para o modelo mais barato da Apple.

Nos Estados Unidos, modelo mais básico dos iPhones custa apenas 1,1% da renda per capita anual

Se considerarmos a renda per capita dos Estados Unidos (US$ 55.836) e o preço do iPhone mais barato (US$ 649), a relação fica em apenas 1,16%. É claro que estamos falando de valores extremos, mas o estudo já nos dá uma boa base do quanto os aparelhos top de linha podem pesar no bolso dos consumidores.

Cupons de desconto TecMundo: