(Fonte da imagem: Gizmodo)

No ano passado, a Google teve que pagar cerca de US$ 500 milhões de multa para evitar um processo criminal do governo dos Estados Unidos. A notícia foi publicada nesta semana, no The Wall Street Journal. Segundo informações do jornal, a empresa estaria ajudando farmácias ilegais autorizando a publicação de anúncios de venda de narcóticos, esteroides e outras substâncias controladas nos EUA.

Para flagrar a empresa, o FBI contratou o vigarista profissional David Whitaker (foto acima). Ele se apresentou para um executivo da companhia como um agente do tráfico de drogas do Canadá e desembolsou nada menos do que US$ 200 mil, em dinheiro do governo, para publicar os anúncios. A Google, avidamente, caiu na armadilha e aceitou a quantia.

Ligações telefônicas e emails trocados entre as duas partes comprovaram que a empresa e o seu departamento jurídico estavam completamente cientes das implicações criminais e, ainda assim, seguiram em frente. “O Google me forneceu uma linha de crédito generosa e permitiu que eu definisse meu público-alvo diretamente junto ao público norte-americano”, destacou.

Segundo Peter Noronha, um dos investigadores do caso, há provas de que Larry Page, um dos fundadores do Google e atual CEO da companhia, estava ciente da atividade. A Google ainda não se manifestou sobre as acusações, mas o caso deve ganhar uma repercussão maior nos próximos dias.

Cupons de desconto TecMundo: