Nesta semana, um engenheiro descobriu que a OnePlus vinha obtendo dados em excesso dos usuários, como os números do telefone e serial do aparelho, assim como do IMEI (International Mobile Equipment Identity); endereços MAC (Media Acess Control), nomes de redes móveis, prefixos IMSI (International Mobile Subscriber Identity), detalhes de sua conexão WiFi e até mesmo quantas vezes um app foi utilizado. A companhia veio a público confirmar que isso acontece e que vai passar a alertar os usuários sobre essa prática até o final deste mês.

Companhia chinesa diz que só acumula todos esses detalhes para “melhor servir o usuário”

Segundo o comunicado, a chinesa utiliza duas formas de captação de informações, uma para análise e outra para entender melhor os aparelhos. “Fazemos isso para compreender melhor e otimizar o comportamento do (sistema operacional) OxygenOS, para melhorar a experiência geral do usuário”, comentou.

A coleta pode ser interrompida nas opções 'Configurações' -> 'Avançado' -> 'Inscrever-se no programa de experiência do usuário', mas isso não impede o aparelho de continuar encaminhando itens que podem ser usados para “suporte de pós-venda”, de acordo com o informativo da empresa.

Para alertar os usuários sobre essa prática, o grupo prometeu que até o final deste mês vai implementar um software para perguntar aos consumidores se eles topam ou não fazer parte desse programa de experiência. Ainda não há data específica para isso acontecer, mas acredita-se que seja na última semana de outubro.

Cupons de desconto TecMundo: