Imagem de: Esquadrão Suicida não terá versão estendida, e produtor defende Zack Snyder

Esquadrão Suicida não terá versão estendida, e produtor defende Zack Snyder

3 min de leitura
Avatar do autor

Muita crítica foi dirigida aos filmes da DC este ano – algumas justificadas, outras nem tanto – o que tem levado a um intenso debate nos bastidores da Warner Bros. Pictures.

Desde que Batman vs Superman chegou aos cinemas, a crítica e parte do público têm questionado o trabalho de Zack Snyder nas produções, responsabilizando o cineasta pelos erros (especialmente narrativos) dos longas mais recentes.

Em maio, a criação do departamento DC FIlms, supervisionado diretamente por Geoff Johns, um dos nomes mais importantes da DC Entertainment, já foi uma resposta dos executivos para corrigir o rumo das produções.

Ao mesmo tempo, muito se esperava do lançamento de Esquadrão Suicida, que deveria colocar a DC no caminho certo com uma obra inovadora, estrelada por vilões populares, e diferente de outros longas baseados em personagens dos quadrinhos. O resultado, porém, não agradou a crítica e dividiu novamente os espectadores.

Agora, a Warner Bros. Pictures parece estar tentando apagar incêndios. Em entrevista ao The Wall Street Journal, o produtor Charles Roven admitiu que a o estúdio prestou atenção às críticas de Batman vs Superman e que isso trouxe mudanças no planejamento dos próximos filmes.

“Levamos em consideração algumas das coisas que aprendemos a partir dos comentários sobre Batman vs Superman”, disse Roven. “Estou dizendo que precisamos prestar atenção às críticas, mas ao mesmo tempo temos que nos manter firmes com a visão (sobre a obra). Zack Snyder é um grande diretor”, comentou o produtor em defesa do cineasta.

Isso significa que podemos esperar uma mudança de tom nas próximas produções! O produtor Charles Roven afirma que foi o próprio Zack Snyder quem teve a iniciativa de trazer um lado mais humorístico em Liga da Justiça – como vimos no trailer exibido na Comic-Con. Mas como será que esse mudança é sentida nos bastidores?

Uma das críticas que se fez ao Esquadrão Suicida na época do lançamento é que o resultado de Batman vs Superman teria provocado uma intervenção no longa de David Ayer. O The Hollywood Reporter revelou, em uma extensa matéria, como foram os últimos tumultuados meses antes do lançamento da produção – incluindo testes com versões diferentes do filme.

Em uma entrevista mais recente, o diretor David Ayer confirmou a existência de “seis ou sete versões diferentes do filme”, incluindo opções lineares da apresentação dos personagens, seguindo uma ordem temporal e com menos flashbacks (diferente da chamada versão “dossiê” que foi usada nos cinemas).

O diretor, no entanto, se surpreendeu com a recepção (ruim) da crítica e do público sobre a reduzida participação do Coringa na trama, pois ainda acredita que o personagem tem uma grande influência sobre a narrativa principal.

Já para a revista Empire, Ayer admitiu que, desde o início, Esquadrão Suicida foi proposto como um filme de classificação 13 anos, e que não há material para a edição de uma versão estendida 18 anos – como ocorreu com Batman vs Superman.

Ao Collider, o diretor disse que o filme que está nos cinemas é a sua versão - portanto, não espere uma posterior "edição do diretor", apesar das inúmeras cenas deletadas. De certa maneira, Ayer está defendendo sua visão e o resultado obtido pela produção.

Esquadrão Suicida mal chegou aos cinemas, e as críticas já estão se direcionando também aos próximos projetos da DC Films. Uma suposta ex-funcionária da Warner soltou o verbo em uma carta aberta direcionada ao CEO do estúdio, Kevin Tsujihara, questionando decisões executivas e apontando os fracassos comerciais dos últimos anos.

A carta comenta toda essa polêmica envolvendo os recentes filmes da DC e o drama nos bastidores, e a ex-funcionária sugere que tem informações internas de colegas que ainda trabalham no estúdio que revelam que a Mulher-Maravilha “é outra bagunça” da Warner.

Neste final de semana, a diretora Patty Jenkins, que comandou o longa da Mulher-Maravilha, respondeu essa suposta carta acusando de ser falsa e caluniosa, e que não há ninguém falando mal do seu filme nos bastidores.

Até mesmo o produtor Dany Garcia de Shazam!, filme que nem entrou em pré-produção ainda, precisou comentar a pressão nos bastidores do estúdio, e informou que o sucesso e o fracassos de outros longas da DC não devem impactar sua obra.

Certamente, os próximos meses serão ainda de muito debate sobre os bastidores da DC Films, e só saberemos se a supervisão de Geoff Johns terá mesmo resultados sobre as produções após as estreias de Mulher-Maravilha e Liga da Justiça no ano que vem. Até lá, só podemos torcer pelo melhor pelo bem de nossos heróis (e vilões).

Via Minha Série.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Esquadrão Suicida não terá versão estendida, e produtor defende Zack Snyder