Pode não parecer, mas as invenções da NASA estão muito mais presentes na nossa vida do que podemos imaginar, às vezes em pequenos utensílios ou objetos tecnológicos que nos ajudam bastante, sendo que nem sabemos quais são suas origens. Nós já falamos sobre isso aqui no TecMundo (e lembramos do já comum travesseiro de espuma espacial), porém hoje trazemos um apanhado maior de tecnologias e produtos desenvolvidos e inicialmente lançados pela NASA – só para você perceber como eles realmente são influentes em nosso cotidiano.

Com constantes invenções e melhorias em satélites, foguetes e em suas pesquisas científicas, é de se esperar que muitos projetos da NASA tenham chegado ao uso diário do grande público, enquanto outros não saíram do papel – pelo menos por enquanto. De qualquer modo, é fato que os avanços tecnológicos da NASA representam um grande progresso para os seres humanos em geral. Neil Armstrong já afirmou: “Um pequeno passo para o homem, um enorme salto para a humanidade!”. Então, vamos lá:

1 – Preservação prolongada dos alimentos

Se hoje existem os alimentos liofilizados, que podem ser armazenados por bastante tempo sem estragar, isso se deve principalmente à NASA. Nas longas missões Apollo que ocorreram nos anos 70, os astronautas precisavam consumir os mais variados tipos de alimentos para manter o equilíbrio nutricional.

A liofilização, que é um processo de desidratação utilizado para preservar alimentos perecíveis (como frutas, ovos e carnes), é caracterizada por congelar os alimentos e retirar a água deles através de sublimação. Desse modo, os astronautas podem se alimentar com produtos conservados e de maior variedade, apesar de secos. Hoje, a liofilização também é usada na manufatura de café solúvel e em diversos produtos farmacêuticos.

2 – Filtros de água de nanofibras

Com o financiamento do Johnson Space Center e da Argonide Corporation, as nanofibras de filtros de água foram desenvolvidas e testadas pela NASA. Esse minúsculo material é capaz de remover 99,99% de todas as bactérias, vírus e parasitas encontrados em qualquer material líquido. Existem tecnologias que permitem que os astronautas filtrem o seu próprio suor e urina através de mecanismos de purificação, porém as nanofibras são muito mais eficientes nesse quesito.

Hoje, além dos seus filtros de água potável, a Argonide Corporation desenvolveu, graças à tecnologia implementada pela NASA, filtros de nanofibras em grande escala que são utilizados para fins industriais e purificação de água de diversos municípios, incluindo o tratamento de esgoto.

3 – Google Earth

Pois é, às vezes pode parecer algo tão óbvio que nem percebemos: se hoje você pode acessar imagens de quase qualquer lugar do mundo e dar um zoom até o jardim de sua casa, é graças, pelo menos em parte, aos satélites da NASA e suas potentes lentes fotográficas. O mapeamento do planeta Terra nunca foi tão preciso como hoje, já que os satélites em cima de nós podem registrar imagens detalhadas de praticamente tudo o que existe aqui embaixo.  

4 – Termômetros auriculares

Medir a temperatura de alguém doente pode não ser algo tão simples assim. Utilizar um aparelho de mercúrio pode ser complicado, sem falar que o modelo retal é bastante desconfortável. Os termômetros auriculares são mais simples e eficientes e, como você pode imaginar lendo isso, foram desenvolvidos parcialmente em conjunto com a NASA.

A Diatek, que originalmente criou os termômetros auriculares, utilizou os conhecimentos avançados da agência espacial para medir a temperatura das estrelas por tecnologia infravermelha. Em conjunto com a NASA, um sensor infravermelho que serve como termômetro auricular foi desenvolvido, considerado bastante preciso ao simplesmente adentrar a região da orelha e medir a quantidade de energia liberada pelo tímpano.

5 – As palmilhas dos calçados

É surpreendente constatar o fato de que é muito provável que algum calçado que você já usou possui algumas semelhanças com as botas utilizadas por Neil Armstrong. As palmilhas de muitos tênis utilizam uma tecnologia empregada pela empresa Kangoroos USA em conjunto com a NASA, fazendo com que as pessoas possam correr  sem que os seus pés esquentem demais ou que os joelhos sejam prejudicados pelo impacto constante contra o chão.

Os trajes planejados para os astronautas das missões Apollo incluíam botas especiais que permitiam um maior grau de ventilação quando eles caminhavam – algo que ocorre hoje com muito tênis fabricados para atletas.

6 – Satélites de telecomunicações

Se hoje podemos nos comunicar de modo bastante fácil com pessoas na China, Nova Zelândia, Inglaterra, Estados Unidos e outros países, é graças aos inúmeros satélites de telecomunicações que existem. A possibilidade de falar por telefone com pessoas longes de você não é algo que ocorreu rapidamente ou que deve ser especificamente atribuído a uma invenção da NASA, já que as telecomunicações levaram décadas para se aprimorarem e se estabelecerem.

Contudo, é fato que a NASA desempenhou um papel muito importante para facilitar a comunicação global através dos satélites – aproximadamente 200 deles orbitam o nosso planeta diariamente. Eles recebem e enviam mensagens que permitem que nós façamos ligações para pessoas de qualquer lugar do planeta. A agência espacial norte-americana monitora grande parte deles para assegurar que eles funcionam adequadamente e sem erros.

7 – Pneus muito mais duradouros

Em 1975, as chamadas sondas Vikings foram enviadas a Marte para estudar o planeta vermelho. Os cientistas sabiam que uma das sondas, designada para explorar a superfície desse mundo desconhecido, precisava ser especialmente forte e resistente. Para isso, a NASA colaborou em conjunto com a Goodyear para criar um material fibroso cinco vezes mais forte do que o aço, dando às sondas as sustentações que elas precisavam para andar em um território pedregoso por bastante tempo.

Depois da invenção, a Goodyear adicionou a tecnologia em seus próprios produtos e pneus, o que adicionou aproximadamente 16 mil quilômetros de vida útil aos pneus radiais da marca.

8 – Estabilização de vídeos

É de esperar que as vibrações que ocorrem no lançamento e no voo dos foguetes espaciais não permitam que as câmeras registrem imagens muito estáveis. Devido a essas circunstâncias, digamos que não é muito fácil registrar vídeos em estruturas espaciais sem que elas tremam e prejudiquem as imagens.

Foi por isso que os cientistas do Marshall Space Flight Center criaram técnicas de estabilização de vídeo (batizadas de VISAR) que permitem filmar adequadamente os ônibus espaciais com câmeras internas e externas de modo adequado e sem tremeliques. As mesmas técnicas foram utilizadas em diversas outras situações, principalmente pelo FBI, como no caso do atentado mortal de 1996 nos Jogos Olímpicos de Verão em Atlanta, já que permitem estabilização e identificação de imagens.

9 – Detecção e proteção contra o gelo em aeronaves

No Centro de Pesquisas Glenn, os cientistas da NASA analisaram modos de evitar o congelamento das aeronaves que eventualmente ocorrem voos em maior altitude – e, principalmente, como eles podem prejudicar o desempenho dessas aeronaves. Os sistemas de proteção e detecção de gelo mais eficientes que encontramos hoje em aviões de diferentes companhias vieram, pelo menos em partes, dos próprios estudos da NASA de como combater os efeitos do congelamento no espaço.

10 – Detectores de fumaça que identificam alarmes falsos de incêndio

Onde há fumaça, há incêndio? Nem sempre isso é verdade, e às vezes pode ocorrer sérios transtornos se um alarme falso for dado pelos detectores de fumaça.

A fim de solucionar esse empecilho, os cientistas da NASA desenvolveram um detector de fumaça que foi acoplado no Skylab, estação espacial dos Estados Unidos que ficou em órbita até 1979, capaz de identificar se um incêndio havia se iniciado ou se outros tipos de gases foram encontrados. Em conjunto com a Honeywell Corporation, a NASA criou os primeiros detectores de fumaça ajustáveis do mundo, com diferentes graus de sensibilidade para prevenir os alarmes falsos.

Bônus: e o mito do suco Tang?

Muitas pessoas acreditam que os sucos em pó Tang foram criados pela NASA para que os astronautas bebessem algo diferente enquanto orbitavam no espaço. Essa afirmação é falsa e pode ter se propagado quando a NASA utilizou os produtos Tang no projeto Mercury, que ocorreu em 1962. Como grande parte das pessoas só conhecem o suco solúvel das missões espaciais, ele ficou imediatamente associado à NASA. Se quiser saber mais sobre esse assunto, já falamos sobre ele aqui no Mega Curioso. 

Cupons de desconto TecMundo: