No dia 16 de julho de 1969, o mundo inteiro parou para ver a Apollo 11 ser lançada rumo ao espaço. Na ponta do foguete Saturno V, a Apollo 11 foi a quinta missão tripulada do Projeto Apollo em direção ao Universo, e também a primeira a pousar no solo lunar. No dia vinte de julho do mesmo ano, o ser humano deixou a primeira marca no solo da Lua, cumprindo o objetivo final do presidente John F. Kennedy: levar o homem à Lua até o final da década de 60.

A partir daí, os avanços tecnológicos deram um enorme salto. A cada nave ou foguete que era construído, um novo aparato tecnológico era colocado. Depois da Apollo 11, outras missões também tiveram como objetivo a Lua, mas nenhuma delas teve tanta repercussão quanto àquela em que Neil Armstrong estava presente.

 

Pegada no homem deixada na Lua.
Crédito da imagem: Nasa

Hoje, vinte de julho de 2009, faz exatamente 40 anos que a Apollo 11 pousou na superfície do satélite natural da Terra. Em comemoração a este feito, o Baixaki reuniu as principais tecnologias da Nasa que estão presentes em nosso dia-a-dia, e das quais muitas vezes nem nos damos conta. Veja você mesmo porque dizem que Neil Armstrong não poderia estar mais certo quando pronunciou a célebre frase: “Um pequeno passo para um homem, um enorme salto para a humanidade”.

 

AS TECNOLOGIAS DO DIA-A-DIA

 

Calçados

Os tênis que utilizamos hoje em dia possuem a mesma tecnologia presente nas botas que os astronautas usavam quando pisaram na Lua. As botas foram projetadas para oferecem conforto e ventilação aos astronautas, e a Kangaroos USA, nos anos 80 com ajuda da Nasa, aplicou as mesmas inovações em seus calçados. Graças a isto, hoje é possível utilizar um tênis para correr sem que os pés “cozinhem” dentro dele ou que nossos joelhos sofram por isto.

Correr sem

 

Termômetro

Termômetro também utiliza tecnologias da Nasa.Você já se perguntou como a Nasa consegue medir a temperatura das estrelas? A resposta mais rápida para esta questão é: utilizando infravermelho. Esta mesma tecnologia foi empregada pela empresa Diatek na concepção dos termômetros auriculares. Os “termômetros de ouvido” conseguem determinar a temperatura do corpo medindo a quantidade de energia liberada pelo tímpano que, por estar dentro do corpo, funciona como um excelente sensor.

 

Detector de fumaça

Detector de fumaça.Não foi a Nasa quem inventou o detector de fumaça, mas é graças às modificações feitas pela Agência Espacial Americana que os detectores de fumaça não disparam quando você risca um fósforo ou queima um pequeno pedaço de papel.

 

Aspirador de pó sem fio

Aspirador de pó sem fio.Em 1961 a empresa Black&Decker criou o primeiro aspirador de pó e de quebra assinou um contrato com a Nasa, para que desenvolvesse um aspirador um pouco mais forte, a fim de que este pudesse sugar coisas mais pesadas, e que pudesse ser usado no espaço. Os engenheiros da empresa Black&Decker gostaram tanto da ideia que criaram não só aspirador, mas diversos equipamentos sem fio.

 

Lentes resistentes

Óculos mais resistentes! Obrigada Nasa!Se você utiliza óculos de grau já deve ter reparado que as lentes não riscam com tanta facilidade e também que não é uma queda qualquer que o fará ficar em pedaços. Sim, este simples fato está diretamente ligada à Nasa. Como em ambientes espaciais a poeira é uma constante, foi preciso encontrar uma maneira de proteger os equipamentos contra arranhões e sujeira, principalmente os visores dos capacetes presentes no traje dos astronautas.

Uma empresa de óculos de sol agarrou a oportunidade e obteve licença para utilizar esta mesma tecnologia em seus óculos. Assim, o plástico utilizado nas lentes tornou-se muito mais resistente e, de quebra, o usuário ainda ganha proteção contra os raios ultravioletas.

 

Detecção de doenças cardiovasculares

A tecnologia que hoje é utilizada em aparelhos para detecção de problemas cardiovasculares foi primeiramente empregada pela Nasa para a detecção de fissuras e ranhuras que indicassem água ou vida em outro planeta. Depois de testar em vários pacientes e constatar que o software poderia ser usado em prol da medicina, Selzer e Hodis fizeram de um programa espacial uma maneira de detectar doenças cardíacas sem a necessidade de cirurgia.

 

Espuma espacial

Espuma espacial.Quem nunca ouviu falar do famoso travesseiro da Nasa? Apesar de ser uma novidade no mercado brasileiro, a “espuma espacial” (silício-poliuretânico de célula aberta) já é utilizada pela Nasa há um bom tempo. A principal finalidade da espuma Tempur, na Agência Espacial Americana, é a de diminuir o impacto durante os pousos de naves e cápsulas.

Os assentos das naves são revestidos por uma camada da “espuma espacial”, fazendo com que o peso do astronauta, e também a pressão, sejam distribuídos de maneira uniforme sobre a superfície. Assim, o choque é absorvido, garantindo a segurança e conforto o ocupante. A utilização da espuma, no entanto, ganhou um Também em montarias.mercado fora da Nasa, e hoje pode ser encontrada em colchões, almofadas, celas de montaria, assento de motos de corrida, etc.

Em questões de saúde, esta tecnologia da Nasa ajuda muito pacientes que não podem sair da cama, evitando o surgimento de escaras. Além disso, muitas próteses de braços e pernas possuem a espuma Tempur, pois além de possuir textura e comportamento semelhantes à da pela humana, ela também diminui o contato entre a prótese e o membro do paciente, tirando a sensação de desconforto.

*Crédito das imagens: Nasa

 

Aviação

A área em que a Nasa mais tem presença é na aviação. Desde as simples ranhuras na pista para eliminar o excesso de água, até aparelhos poderosos usados em aviões e torres de comando foram usados antes em ônibus e módulos espaciais ou nas salas de comando da agência. Em questões de aerodinâmica, então, a Nasa é especialista.

O material que evita o rápido congelamento de vidros e asas de um avião é utilizado na construção de satélites, naves e jipes que são enviados para planetas distantes, como a sonda Cassini-Huygens, que orbita o planeta Saturno.

Ranhuras na pista e outras tecnologias na aviação.

 

Vale a pena comentar

Além das tecnologias descritas acima, a Nasa é grande responsável por muitas outras coisas que utilizamos no dia-a-dia. Quando você está pegando água filtrada, esta utilizando uma tecnologia da Agência Espacial Americana, afinal foi a Nasa quem melhorou a tecnologia utilizada para que a água ficasse cada vez mais limpa.

Aqueles panos, tipo flanela, que são altamente absorventes, foram criados primeiro para uso exclusivo no espaço, e agora estão presentes em casa do mundo inteiro. Até mesmo as arminhas de água usada pelas crianças têm o dedo, mesmo que acidental, da Nasa.

Um engenheiro que estava fazendo experiências com água em uma pistola acabou criando, acidentalmente, um jato d’água forte o suficientes para acertar objetos e pessoas mais distantes. E assim nascia a “arminha de água”.

 

O QUE ESPERAR DO FUTURO

Independente se foi verdade ou não que o homem pisou na Lua, não há como negar que tal episódio trouxe muitos benefícios para a humanidade. A evolução tecnológica dos últimos tempos foi a maior até hoje, e ainda não parou. Quais das tecnologias atuais da Nasa estarão em nossas casas no futuro?

Já é do conhecimento de todos que a ISS (International Space Station - Estação Espacial Internacional) possui um aparelho que recicla a urina dos astronautas, transformado-a em água potável para o consumo. Também é do conhecimento de muitos que a água em nosso planeta um dia acabará. Sendo assim, nada mais conveniente do que ter uma máquina de reciclar urina em casa, no futuro, é claro!

Urina reciclada? Será?

Além disso, em cada planeta do Sistema Solar há uma sonda coletando e mandando para Terra os mais diversos tipos de informações sobre nossos vizinhos. Depois de encontrar água em Marte, quem sabe não testemunhamos a descoberta de vida fora do planeta Terra? Vocês acham isto possível? O que mais podemos esperar de tecnologia vinda da Nasa para nossas casas?

Cupons de desconto TecMundo: