Covid-19: cientistas descobrem gene oculto dentro do gene do coronavírus

2 min de leitura
Imagem de: Covid-19: cientistas descobrem gene oculto dentro do gene do coronavírus
Imagem: Shutterstock
Avatar do autor

Uma pesquisa publicada recentemente na revista científica eLife revelou a existência de um gene “misterioso” descoberto dentro de outro gene no coronavírus SARS-CoV-2, o causador da covid-19. Chamado de ORF3d, ele é um gene sobreposto (OLP na sigla em inglês), tipo de sequência de nucleotídeos muito comum em pandemias, mas, até o momento, esquecida.

Feita por um grupo de cientistas liderado por Chase Nelson, do Museu de História Natural de Nova Iorque, nos EUA, a descoberta “pode revelar novas vias de controle para o vírus, como medicamentos antivirais”, diz o estudo. Também é possível que o novo gene detectado seja capaz de contribuir para a biologia única do vírus e seu potencial pandêmico.

Fonte: Billion Photos/Shutterstock/ReproduçãoFonte: Billion Photos/Shutterstock/ReproduçãoFonte:  Billion Photos/Shutterstock 

A importância da descoberta do novo vírus

Na avaliação da pandemia do novo coronavírus, cientistas do mundo inteiro tentam compreender as propriedades que permitem que esses vírus animais cruzem o limite das espécies e se espalhem dentro dos organismos dos seres humanos. Tal compreensão depende de um perfeito entendimento dos genomas virais.

Segundo Nelson, “a sobreposição de genes é talvez uma das maneiras pelas quais os coronavírus evoluíram para se replicar de maneira eficiente, atrapalhar a imunidade dos infectados e se transmitir". Um gene sobreposto permanece “escondido” dentro da cadeia de nucleotídeos, devido à forma como se sobrepõe às sequências dos outros genes.

Embora sejam relativamente comuns dentro dos vírus, os OLP’s são de difícil detecção porque a maioria dos programas informatizados existente não são projetados originalmente para encontrá-los. Além disso, como o genoma do SARS-Cov-2 é muito longo, "talvez sejam mais propensos a conter essa 'farsa genômica'", afirma Nelson.

O que se sabe sobre a função do OLP

Células T identificam e destroem célula (verde) infectada pelo Sars-CoV-2 (amarelo)  (Fonte: NIAID/Reprodução)Células T identificam e destroem célula (verde) infectada pelo Sars-CoV-2 (amarelo)  (Fonte: NIAID/Reprodução)Fonte:  NIAID 

A ocorrência de genes sobrepostos, em que um único trecho de nucleotídeos é capaz de codificar duas proteínas distintas em quadros diferentes de leituras, foi descoberta recentemente, o que indica serem necessárias pesquisas complementares para que se possa ter um completo entendimento de todas as suas implicações.

Uma das dúvidas ainda não esclarecidas diz respeito à resposta das células T ao OLP. Essas células do sistema imunológico cujo objetivo é identificar e matar os patógenos invasores ou as próprias células infectadas, podem ser "driblados" pelos genes sobrepostos.

A esse respeito, Nelson reconhece que "ainda não sabemos seu significado clínico e função, mas prevemos que é relativamente improvável que esse gene seja detectado pela resposta das células T, ao contrário de uma resposta de anticorpos".

Na pesquisa, os pesquisadores descobriram o OLP ORF3d em um coronavírus presente no organismo de um pangolim, mamífero coberto de escamas e semelhante a um ouriço. O estudo do sequenciamento genético do animal poderá revelar perdas e ganhos do gene durante a evolução da doença.

Covid-19: cientistas descobrem gene oculto dentro do gene do coronavírus