Li-Ion (esquerda) e Li-Po: os principais modelos de bateria da atualidade. (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

O mundo dos eletrônicos portáteis é movido por baterias, não tem jeito. Dos vários tipos de cargas elétricas já desenvolvidos pelo homem, algumas se sobressaem, como as melhores opções da atualidade, as de íon-lítio (Li-Ion) e as de íon-polímero (Li-Po).

Além de terem nomes parecidos, esses dois formatos apresentam diversas semelhanças nas suas composições e na sua capacidade. Mas existem algumas diferenças significativas ente ambos, o que configura prós e contras para os dois lados.

As diferenças ganham ainda mais destaque porque cada um dos formatos é usado nos dois smartphones mais famosos da atualidade, o iPhone da Apple (Li-Po) e na linha Samsung Galaxy (Li-Ion). Então, saiba um pouco mais sobre as características de cada tipo de bateria, vendo ainda quais as vantagens e as desvantagens de cada modelo.

Lítio: o elemento-base

Como fica claro ao olhar o nome de cada uma das baterias, o lítio está presente em ambas. Este metal é o atual elemento-base dos principais modelos de baterias presentes no mercado por uma questão simples: ele é o mais leve entre todos os metais conhecidos, além de ter o melhor potencial eletroquímico e a melhor relação entre peso e capacidade energética.

O lítio é o “metal ideal” para servir de ânodo, o eletrodo negativo de uma bateria, por causa da sua imensa capacidade de densidade de energia. A aplicação deste material no uso de baterias começou a ser testada há mais de 100 anos, em 1912, mas apenas na década de 1970 é que a primeira bateria de lítio foi criada.

Lítio: o elemento-base dos dois modelos de bateria. (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

A estreia do lítio no mundo das baterias não foi através de uma recarregável, o que começa a ser estudado apenas nos anos 1980 — e a primeira foi comercializada em 1991. Hoje, o emprego deste metal em uma bateria é sempre acompanhado de um eletrodo positivo, o cátodo.

A diferença positiva

Uma bateria é formada por eletrodos positivos (os cátodos) e negativos (os ânodos), elementos responsáveis por conectar um circuito elétrico a uma parte metálica. Nas baterias de lítio, esse elemento serve como ânodo, deixando o papel de cátodo para os elementos metálicos nas baterias de Li-Ion e polímeros (que podem ser a base de cobalto, fosfato ou manganês) nas de Li-Po.

A diferença, então, fica bem clara, mas qual a implicação na prática disso tudo? Os cátodos das baterias de Li-Po são feitos por compostos químicos, os polímeros. Como este material é maleável, as células que compõem suas baterias podem ter o formato de uma bolsa (“pouch cell”), diferente do que acontece com as de íon de lítio, que invariavelmente apresentam células em formato cilíndrico.

Além disso, as células das Li-Po estão envoltas em um material flexível, dobrável, diferente da proteção rígida que envolve as células das Li-Ion. Apenas essa alteração já permite que o tipo de bateria usada no iPhone seja pelo menos 20% mais leve do que aquela usada na linha Galaxy.

Densidade energética: ponto pra Li-Po

Outra diferença básica entre os dois modelos é em relação à densidade de energia. As Li-Po possuem uma densidade maior, ou seja, uma bateria deste tipo consegue oferecer mais carga do que uma Li-Ion do mesmo tamanho. O resultado disso na prática é que as Li-Po podem ser mais finas e ainda assim oferecer uma quantidade de carga maior do que as “rivais”.

Baterias de li-ion também são usadas na maioria dos portáteis, inclusive os notebooks. (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Custo de produção: ponto pra Li-Ion

Apesar de levar vantagem sobre a tecnologia das Li-Ion, as baterias de Li-Po perdem em um ponto importante: o preço. Se elas podem ser mais finas, mais leves e maiores (no sentido de armazenarem mais carga), o custo para a sua produção supera aquele empregado para criar as baterias de íon de lítio. Assim, o custo é repassado aos consumidores no preço final de um produto, que fica mais caro.

E as semelhanças não param

Não é só por carregarem lítio dentro de si que as tecnologias Li-Po e Li-Ion são parecidas. Ambas são recarregáveis e possuem um desempenho energético semelhante, então, além de levarmos em conta os fatores já citados aí em cima, é importante também lembrar que o ciclo de vida delas também é parecido.

As baterias de lítio de forma geral levam vantagem em relação às demais, como as de níquel cádmio (NiCd), por estarem livres do “efeito memória”. Isto é, você não precisa dar uma carga completa na bateria e nem usar a sua carga até o fim para iniciar a recarga, pois elas não “viciam”— é importante lembrar, porém, que elas não estão livres do envelhecimento e consequente perda de desempenho.

Além disso, outro ponto comum aos dois tipos de bateria que usam lítio tem relação com carga e descarga. Ambos apresentam o mesmo sistema para armazenar e para liberar a energia acumulada.

Cupons de desconto TecMundo: