Sempre que um novo celular ou gadget é lançado, é comum buscarmos e destrincharmos todas as informações de hardware, como a câmera, resolução, memória RAM e processador. Contudo, a bateria geralmente fica de lado, pois é o componente que menos observamos evolução. Entretanto, parece que a Panasonic está trabalhando em mudar isso com a sua nova bateria flexível.

A bateria de íon-lítio tem uma espessura muito pequena: apenas 0,55 milímetros. Um componente tão fino é ideal para acessórios pequenos (e também flexíveis), como os eletrônicos vestíveis. Além disso, pensar que a tecnologia agora está mais perto da realidade e já é algo palpável, talvez veremos os smartphones flexíveis mais rápido do que o imaginado.

O que você achou da nova bateria da Panasonic?

Flexível, mas até que ponto?

Quando pensamos na palavra flexível, características extremamente adaptáveis vêm à cabeça, mas não é exatamente assim que funciona na prática. A novidade da Panasonic consegue sim ficar envergada e sofrer deformações sem se quebrar, mas há um limite. De acordo com a empresa, a bateria consegue dobrar com a mesma tensão que um cartão de identidade (semelhante à de um bilhete único ou um cartão de banco).

Em termos mais técnicos, o raio de dobradura é de 40 milímetros e o ângulo de torção é de 15 graus (a dobradura sobre si mesmo, ou seja, como torcer um pano). A companhia afirma que as deformações não são permanentes, tanto para a parte estética quanto para a funcionalidade do componente.

Essas são as propriedades da nova bateria da Panasonic

Por ora, trata-se de algum pouco “experimental”, pois a bateria não conta com grande capacidade. Há três tamanhos, cada um deles com uma carga diferente: 60 mAh, 40 mAh e 1,5 mAh. A Panasonic garante que elas são completamente seguras, mesmo para usar próximas à pele. O primeiro lote começará a ser vendido no começo de outubro de 2016.

Cupons de desconto TecMundo: