A Z97M-PLUS/BR é a primeira placa-mãe da ASUS com o novo chipset Intel a ser fabricada em solo nacional. A intenção, com isso, é aproveitar incentivos fiscais do governo para baratear o custo do equipamento para os consumidores.

Para que o produto pudesse ser fabricado aqui, a ASUS investiu na modernização da planta, localizada em Manaus. O planejamento para o início da produção levou seis meses para ficar pronto, tudo para que fosse possível colocar em perfeito funcionamento toda a cadeia de fornecimento de componentes e matéria-prima para a produção.

O modelo pertence a uma categoria intermediária, mas oferece a maioria dos recursos presentes nas placas mais poderosas da marca. O design micro-ATX é compacto, mas essa placa já oferece suporte à conexão M.2.

Especificações

 

Design

A Z97M-PLUS/BR é uma placa micro-ATX, ou seja, possui o tamanho reduzido. Isso faz com que ela seja compatível com gabinetes menores, sejam máquinas para jogos ou estações de trabalho.

Visualmente falando, essa placa-mãe é bastante simples. O principal destaque fica para o dissipador do chipset, que é redondo e lembra um CD na cor dourada. É um design bem diferente dos modelos mais comuns aos quais estamos acostumados. O dissipador presente na área do regulador de tensão também é dourado, mas muito mais tradicional.

O primeiro slot PCI Express é na cor cinza. Esse é o único soquete PCI Express 3.0 dessa placa-mãe. Ela também tenta ser bem polivalente e trazer um pouco de tudo para garantir a versatilidade: existem conectores COM e LPT disponíveis, caso você tenha alguma impressora mais antiga. A placa ainda conta com um soquete M.2, que está se tornando cada vez mais comum nos modelos atuais.

O painel traseiro oferece quatro conectores de vídeo diferentes (caso você trabalhe com o vídeo onboard): DisplayPort, HDMI, DVI e VGA. Com isso, é possível conectar até três monitores simultaneamente.

Controlador de tensão e sistemas de proteção

O circuito regulador de tensão é um dos itens mais importantes de qualquer placa-mãe, pois ele é o responsável por controlar a entrada de energia e sua distribuição entre os componentes. Com o fornecimento de energia adequado não existem flutuações muito altas, e o sistema se mantém mais estável.

Nessa placa, o esquema adotado pela ASUS é o seguinte: para o processador existem 4 fases, e o chip regulador é o mesmo de outras placas da empresa, o controlador digital Digi+.

A ASUS também incluiu fusíveis de proteção especiais para os soquetes de memória. A intenção é proteger os módulos contra curtos-circuitos e outros acidentes que podem vir a acontecer.

Os capacitores sólidos K suportam temperaturas de até 105 °C sem apresentar problemas. Segundo a ASUS, eles podem resistir a até 5 mil horas de uso ininterrupto, o que significa cerca de 2,5x mais que capacitores tradicionais.

Para completar, a Z97M conta com ESD Guards incorporados no sistema para evitar que descargas eletrostáticas possam comprometer o funcionamento do sistema. O circuito de proteção ativa protege o sistema contra interferência eletrostática e propicia mais longevidade aos componentes.

A ASUS também garante que antes de chegar ao mercado, as placas passam por um rigoroso controle de qualidade: são mais de 7 mil horas de validação para garantir que todos os componentes funcionem da forma como eles foram projetados.

Chipset Intel Z97

O novo chipset da Intel abre caminho para os novos processadores da fabricante, isso porque ele é compatível tanto com os modelos da quarta geração (Haswell) quanto com os da quinta geração (Broadwell), que ainda não chegaram ao mercado. Isso faz com que investir em uma placa-mãe que tenha o Z97 seja interessante tendo em vista futuros upgrades.

Uma das grandes novidades trazidas é o suporte a novas interfaces de armazenamento, como o SATA Express e o M.2., além do suporte à tecnologia Intel Boot Guard, que protege a máquina de malwares mesmo fora do sistema operacional. O Z97 também já oferece suporte ou sistema de cache SSD Smart Response.

Sistema de som Crystal Sound 2

O sistema de som dessa placa-mãe é o Crystal Sound 2, um conjunto de melhorias em relação aos modelos mais tradicionais. Os circuitos de áudio são separados fisicamente da placa, e isso é feito para evitar interferências multilaterais.

O amplificador de som proporciona mais riqueza e qualidade, principalmente em fones de ouvido. Os canais de áudio esquerdo e direito também são separados na placa, pois isso protege os sinais de interferências.

Na prática, os resultados são muito bons. O amplificador garante um som mais potente que o encontrado em outras placas, e isso é uma ótima qualidade desse produto.

ASUS Ai Suite III

O ASUS Ai Suite III é o painel de controle dessa placa-mãe. Através dele é possível gerenciar todos os itens do sistema, monitorar o equipamento e realizar ajustes finos, como overclocks e afins. O aplicativo também pode gerenciar uma série de lembretes e funções para controlar o sistema. Dentro dele é possível encontrar novas versões de ferramentas já conhecidas de outras placas ASUS.

Entre outras funções, ele pode permitir um ajuste automático das configurações da máquina. Tudo começa com uma verificação do sistema para, em seguida, ser feita uma configuração automática. A interface é dividida em telas diferentes, cada uma responsável por ajustes específicos.

TPU

TPU vem de “Turbo Processing Unit”, e é aqui que você poderá espremer o máximo de desempenho do seu processador. A ferramenta possui opções avançadas e completas, permitindo ajustes de voltagem, multiplicador e clock da CPU. Um detalhe interessante do sistema é que você pode modificar todos os núcleos do processador em conjunto ou pode criar perfis diferenciados para cada um deles.

EPU

A sigla EPU significa “Energy Processing Unit”, ou seja, ela é responsável por gerenciar a energia fornecida aos componentes, principalmente ao processador. Através da EPU o sistema pode se autorregular, definindo perfis de consumo para momentos específicos de uso da máquina. Com isso, ganha-se mais eficiência com um menor consumo. Essa opção pode ser configurada automaticamente ou não.

DIGI+ Power Control

Para que seja possível executar overclocks com estabilidade, a ASUS incluiu o controlador DIGI+ nessa placa. Esse dispositivo é capaz de controlar com eficiência toda a eletricidade fornecida para o processador, garantindo precisão e evitando oscilações, o que, consequentemente, garante mais estabilidade para a máquina como um todo.

Fan Xpert 3

A função do Fan Xpert 3 é detectar automaticamente o estilo de trabalho dos coolers instalados em sua máquina e regular a velocidade e a potência dos componentes: tudo para encontrar o perfeito equilíbrio entre consumo de energia, barulho e eficiência energética. As configurações podem ser realizadas todas pelo sistema ou manualmente.

BIOS

O BIOS UEFI é o mesmo já encontrado nas placas mais modernas da ASUS. O sistema vem com uma interface moderna e bem organizada, fácil de entender. Para tentar agradar a todos os perfis de usuários, a ASUS trabalha com duas versões diferentes do sistema: o primeiro é o EZ Mode, que traz as principais opções bem ilustradas e bem distribuídas para facilitar a vida de quem só quer configurar a máquina sem dor de cabeça.

Essa opção também oferece guias de configuração passo a passo para a realização de pequenos overclocks e a otimização dos coolers do sistema.

A segunda opção é o modo avançado, que já é bem mais próximo ao modelo tradicional de configuração. Ali é possível encontrar tudo o que você precisa para deixar a máquina ajustada precisamente do jeito que você quiser, incluindo tempo de memórias, clock do processador e outras configurações bem específicas.

O sistema ainda conta com uma série de telas de monitoramento de tensões e temperaturas da placa e, como de costume, é possível ajustar alarmes e alertas de funcionamento caso o calor da CPU aumente muito, por exemplo.

A interface ainda oferece ferramentas de atualização, basta gravar a nova versão do BIOS em um pendrive e fazer tudo por ali. Uma coisa que não agradou muito no BIOS foi a ausência da língua portuguesa na lista de opções, algo curioso, já que essa placa é montada no Brasil. Nem mesmo uma atualização resolveu isso.

ASUS HomeCloud

A ferramenta Homecloud permite que você acesse o seu computador a partir de qualquer lugar. Isso porque ela transforma o seu PC em uma nuvem privada, deixando seus arquivos pessoais e de mídia disponíveis para o streaming a partir da sua máquina. Para que não seja preciso deixar o PC ligado o tempo todo, é possível ativar o recurso “Wake on Lan” para ligar tudo remotamente.

Testes de desempenho

Nós realizamos alguns testes com essa placa-mãe. O objetivo é ver como ela se comporta durante a realização de atividades específicas, como jogos, benchmarks, transferência de dados, entre outros. Alguns critérios devem ser respeitados durante os testes: a placa não deve travar, esquentar muito ou deixar de executar alguma função desejada.

Máquina utilizada nos testes

  • CPU: Intel Core i7-4790K @ 4 GHz;
  • Memória: 16 GB RAM dual-channel G. Skill Sniper DDR3 2.133 MHz;
  • Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 780 Ti;
  • SSD: Kingston HyperX 3K 480 GB;
  • SSD: Samsung 840 PRO Series 256 GB;
  • HD: 3 TB Seagate ST3000M001;
  • Fonte: Corsair AX1500i.

Vídeo/GPU

O principal item que dita o desempenho de uma máquina nos jogos é a placa de vídeo. Porém, a placa-mãe precisa ser capaz de suportar a transferência de dados entre os componentes e promover a perfeita harmonia entre eles. Deste modo, escolhemos testar diversos títulos diferentes, cada um com um motor gráfico e exigências distintas.

Sintéticos

Os benchmarks sintéticos realizam uma série de testes predeterminados em um script. A ideia é forçar o hardware até os seus limites máximos para ver o poder total dos componentes. O 3DMark realiza testes gráficos, já o PCMark é focado em testes mistos, que simulam desde o uso mais tradicional de um computador, como navegação na internet, até a reprodução de filmes e outras tarefas.

CPU    

Assim como nos games, é preciso testar o processamento dos dados dos aplicativos. Para ver se a placa dá conta do recado, trabalhamos com testes de processamento de vídeo, encriptação de dados e a capacidade de o sistema lidar com processos multithread.

Transferência de dados

O chipset é apenas um dos itens que determinam a qualidade da transferência de dados entre os sistemas de armazenamento. Além dele, uma série de componentes presentes na motherboard deve garantir que os arquivos sejam lidos/gravados sem problemas.

Memória

A placa-mãe precisa garantir que a memória funcione de forma adequada no sistema. É ela quem gerencia o fornecimento de energia e a atividade dos módulos, além de permitir que eles utilizem perfis de alto desempenho (XMP). O MaxxMEM² é um aplicativo de testes que mede a velocidade da memória em 4 categorias diferentes: cópia, leitura, escrita e latência. O PC Wizard faz testes simulares, mas utiliza uma abordagem diferente, e no final dos testes, define um valor em pontos para o sistema. Com isso, é possível comparar a máquina com outros equipamentos.

LAN

As placas-mãe são responsáveis por garantir a conexão de rede seja com a internet ou com outras máquinas. Para saber quais são os limites da interface de rede, utilizamos o Lan Speed Test Lite, um aplicativo que foi criado para medir as taxas de transferência através da interface de rede. O programa cria um arquivo de tamanho determinado e o transfere pela rede até outra máquina para encontrar essas informações.

Consumo energético

O teste de consumo é feito medindo o quanto a placa-mãe está “puxando” da rede elétrica. Para isso utilizamos um wattímetro entre o cabo de energia e a tomada. Para estressar a placa, rodamos um aplicativo de stress que faz o processador e a placa de vídeo trabalharem no limite de sua capacidade. O segundo teste é feito com o sistema em repouso, com todos os aplicativos fechados e o computador ligado no SO, sem realizar nenhuma tarefa.

Vale a pena?

A ASUS trouxe uma linha completa de placas Z97 – existem modelos de praticamente todas as categorias. A vantagem é que é possível encontrar uma placa que mais se adeque às suas necessidades e ao seu bolso.

Essa placa é um modelo micro-ATX que oferece uma série de recursos interessantes, como suporte a cartões M.2 e componentes de alta durabilidade. O sistema de som também merece um destaque, assim como os sistemas de proteção contra surtos de energia.

A Z97M-PLUS/BR é a primeira com o chipset Z97 a ser fabricada no Brasil. Por ser mais simples, ela tem um preço mais atraente que modelos mais poderosos, mesmo que não seja a mais barata do mercado. Até o fechamento desta matéria, ela podia ser encontrada no mercado nacional por preços em torno de R$ 500. Isso faz dela uma opção interessante, trazendo um bom equilíbrio entre custo e recursos.

No geral, essa placa-mãe intermediária deve apresentar um bom desempenho em qualquer equipamento. Contudo, se você quer economizar ao montar uma máquina com processadores Intel de quarta geração, talvez seja mais interessante buscar por um modelo mais em conta.

Cupons de desconto TecMundo: