A Z97-D3H é um dos novos modelos de placa-mãe lançados pela Gigabyte a trazer o novo chipset Intel. O modelo é compatível com os processadores Intel de 4º e 5º gerações e oferece uma série de benefícios, como conexão SATA Express e M.2.

Essa placa-mãe também vem com o selo Ultra Durable, que garante que ela foi construída com componentes de qualidade e deve resistir por um bom tempo.

Entre outras das novidades presentes no modelo, estão o sistema de som com amplificador exclusivo e uma suíte de aplicativos para o gerenciamento completo dos principais recursos da placa.

Especificações

Design

A Z97-D3H é uma placa ATX de tamanho tradicional. O visual é relativamente simples e não oferece elementos mais característicos como a G1.Sniper M5. Os dissipadores do chipset e dos reguladores são pequenos e ambos estão na cor dourada.

Essa placa vem com quatro slots de memória e dois PCI Express x16 (sendo que o segundo é apenas x4). Curiosamente ela também conta com três slots PCI tradicionais, o que faz com que essa placa-mãe seja compatível com periféricos mais antigos, como placas de som externas ou placas de monitoramento de vídeo, por exemplo.

Uma das novidades do sistema é o soquete SATA Express. Apesar de ainda ser difícil encontrar periféricos que utilizem essa conexão à venda, é sempre bom já estar preparado para o futuro.

Outra novidade é o conector M.2, que também é um bom indicativo de “tempo de vida” para essa placa-mãe. Como ela já será compatível com os processadores Intel de quinta geração, é provável que no seu próximo upgrade você possa manter a mesma placa. Vale lembrar que o SATA Express e o M.2 não podem ser utilizados ao mesmo tempo, já que ambos compartilham das mesmas trilhas de conexão.

Essa placa vem com o selo CrossFire da AMD, mas não aceita o modelo SLI da NVIDIA. Isso porque ela conta com apenas um soquete PCI Express x16. O segundo é do mesmo formato, mas trabalha apenas com velocidade máxima de 4x.

O painel traseiro conta com duas portas USB 2.0 e quatro portas USB 3.0. Além disso, também existem saídas de vídeo DVI, VGA e HDMI, um conector PS/2, LAN e seis de áudio.

Ultra Durable

O selo Ultra Durable foi introduzido pela Gigabyte como uma forma de diferenciar os componentes da placa daqueles incluídos em outros modelos. Entre eles estão os capacitores sólidos 10K Nippon Chemi-Con e Nichicon, capazes de aguentar no mínimo 10 mil horas de funcionamento sob condições extremas, como temperaturas elevadas.

Outro diferencial dessa placa é o design das trilhas de cobre que ligam os componentes na PCB. A Gigabyte incluiu duas vezes mais cobre que o normal apenas para garantir a perfeita comunicação entre os itens. Isso ajuda a dissipar melhor o calor e a permitir que mais energia possa ser distribuída pelas trilhas.

O PCB da Z97-D3H também possui um sistema de proteção contra umidade. O responsável por isso é a tecnologia Glass Fabric que repele a umidade do ar quando ela é excessiva. Para que isso seja possível, as fibras da PCB foram posicionadas de forma diferente: elas são mais próximas umas das outras, tornando a placa mais sólida e resistente a esses problemas.

Este modelo também vem com uma série de proteções ESD para garantir que os componentes como LAN e USB não sofram com surtos elétricos. Eles são bem resistentes e podem aguentar até mesmo interferências provocadas pela queda de raios.

O circuito regulador de tensão é um pouco mais simples nessa placa. Ele é composto por quatro fases, mas fornece energia suficiente para o sistema trabalhar estável em modo padrão e até mesmo com pequenos overclocks.

Sistema de som

Assim como a maioria das placas mais poderosas da Gigabyte, esse modelo também oferece um diferencial nos componentes do sistema de som. Todas as peças que compõem o circuito são isoladas fisicamente do restante das peças. O objetivo é evitar que interferências eletromagnéticas atrapalhem a reprodução sonora.

Além de o circuito ser separado dos demais componentes da placa, os canais de áudio também são independentes. Cada um deles passa por uma camada diferente da PCB com o objetivo de eliminar o crosstalk (diafonia) do som.

O processador de áudio é o Realtek ALC 1150 e pode reproduzir até 115 dB SNR. Ele suporta até 10 canais DAC, que trabalham simultaneamente para a reprodução de som de 7.1 canais (painel traseiro), mais 2 canais de saída de som estéreo de forma independente (painel frontal). Junto a ele foi incluído um amplificador de áudio de alta capacidade capaz de trabalhar com até 600 Ω. Tudo isso garante um som mais nítido, principalmente com a utilização de fones de ouvido.

Chipset Intel Z97

O novo chipset da Intel abre caminho para os novos processadores da fabricante, isso porque ele é compatível tanto com os modelos da quarta geração (Haswell) quanto com os da quinta geração (Broadwell), que ainda não chegaram ao mercado. Isso faz com que investir em uma placa-mãe que tenha o Z97 seja interessante tendo em vista futuros upgrades.

Uma das grandes novidades trazidas é o suporte a novas interfaces de armazenamento, como o SATA Express e o M.2, além do suporte à tecnologia Intel Boot Guard, que protege a máquina de malwares mesmo fora do sistema operacional. O Z97 também já oferece suporte ou sistema de cache SSD Smart Response.

Gigabyte App Center

Para essa geração de placas-mãe, a Gigabyte deu uma repaginada nos seus aplicativos de sistema. Uma das novidades é o App Center, que é uma espécie de hub de controle que concentra todos os aplicativos de gerenciamento e configuração.

Um dos softwares que acompanha a suíte de gerenciamento é o Live Update: o nome já diz tudo. O que ele faz é buscar por atualizações para os drivers da placa. Tudo é bastante simples e funcional. O programa analisa o hardware, faz consultas à internet e decide o que pode ser atualizado. Tudo o que você precisa fazer é confirmar.

O EasyTune é o software de gerenciamento completo dessa placa-mãe. Ele possibilita o controle total de todas as funções mais importantes, inclusive overclocks. Nesse ponto, a Gigabyte incluiu diversas opções interessantes que visam descomplicar a vida de quem quer ganhar um pouco mais de desempenho, mas não tem conhecimento suficiente para realizar modificações mais ousadas.

O Smart QuickBoost oferece diversas opções de overclock, cada uma direcionada a um perfil específico. Ao todo são quatro opções principais: light, médio, extremo e de baixo consumo energético. As opções podem ser configuradas de modo automático ou manual, através do botão “advanced”.

Já o Auto Tunning é um modo automático que faz uma análise de todo o hardware da máquina antes de realizar uma série de ajustes também automáticos para encontrar o melhor desempenho possível para o seu PC.

Voltando ao Easy Tune, chegamos à opção Smart Fan (ou simplesmente ventilador inteligente, em tradução livre). O nome da configuração é autoexplicativo: aqui você pode definir o estilo de funcionamento dos coolers.

As opções não são muito diferentes do tradicional: modo silencioso, padrão e extremo. O diferencial fica por conta da possibilidade de calibragem automática que regula o giro de acordo com a necessidade do sistema. Para completar, temos o modo avançado, que permite um ajuste totalmente personalizado do cooler.

O Easy Tune também traz o System Alert, que não é nada além de um sistema de monitoramento do sistema. O aplicativo supervisiona os coolers, as temperaturas e outros parâmetros. Caso alguma temperatura passe do limite estipulado, o aplicativo vai disparar um alerta.

O último item do Easy Tune é o 3D Power. O que ele faz é trazer informações sobre voltagem e outros parâmetros do sistema, como o controle de fase do processador.

Voltando ao App Center, temos o @BIOS, um aplicativo que tem por objetivo principal atualizar a BIOS da placa-mãe. As opções são bastante completas, permitindo que você faça o download a partir de algum servidor da Gigabyte ou atualize a partir de um arquivo previamente baixado.

Também é possível salvar a BIOS antiga para um arquivo ou até mesmo trocar a imagem que é exibida durante a tela de POST (que aparece logo que você liga a máquina). Vale lembrar que esse tipo de modificação é rara em outros sistemas, portanto, é muito bem-vinda no sistema da Gigabyte.

Com o HomeCloud você pode compartilhar arquivos pessoais entre os seus dispositivos, incluindo celulares e tablets.

O App Center também oferece o Smart TimeLock, um software de gerenciamento para pais que não querem que seus filhos acessem o computador fora de hora. Através dele é possível ajustar períodos de funcionamento da máquina.

O último item da central de aplicativos é o Smart Recovery 2, um software destinado à realização de backups e restaurações do sistema, incluindo arquivos e partições.

BIOS

Ao ligar a máquina pela primeira vez, entramos na BIOS e encontramos uma tela amigável de seleção de linguagem. Logo depois, aparecem outras possibilidades de configuração, tudo de modo bem intuitivo.

Ao clicar na seta à esquerda, outra tela pode ser acessada. Dessa vez, é possível ter acesso às funções mais completas, mas tudo ainda sem perder a simplicidade. No centro estão as configurações, e tudo é separado por abas. Enquanto isso, as laterais fornecem informações sobre o sistema, assim como detalhes e status do funcionamento dos dispositivos.

Quem quiser acessar o BIOS de forma mais tradicional, também pode fazer isso selecionando o modo avançado de funcionamento, em que todos os itens são dispostos em listas, seguindo o padrão de funcionamento de placas-mãe mais antigas.

Testes de desempenho

Nós realizamos alguns testes com essa placa-mãe. O objetivo é ver como ela se comporta durante a realização de atividades específicas, como jogos, benchmarks, transferência de dados, entre outros. Alguns critérios devem ser respeitados durante os testes: a placa não deve travar, esquentar muito ou deixar de executar alguma função desejada.

Máquina utilizada nos testes

  •          CPU: Intel Core i7-4790K @ 4 GHz;
  •          Memória: 16 GB RAM dual-channel G. Skill Sniper DDR3 2.133 MHz;
  •          Placa de vídeo: NVIDIA GeForce GTX 780 Ti;
  •          SSD: Kingston HyperX 3K 480 GB;
  •          SSD: Samsung 840 PRO Series 256 GB;
  •          HD: 3 TB Seagate ST3000M001;
  •          Fonte: Corsair AX1500i.

Vídeo/GPU

O principal item que dita o desempenho de uma máquina nos jogos é a placa de vídeo. Porém, a placa-mãe precisa ser capaz de suportar a transferência de dados entre os componentes e promover a perfeita harmonia entre eles. Deste modo, escolhemos testar diversos títulos diferentes, cada um com um motor gráfico e exigências distintas.

Sintéticos

Os benchmarks sintéticos realizam uma série de testes predeterminados em um script. A ideia é forçar o hardware até os seus limites máximos para ver o poder total dos componentes. O 3DMark realiza testes gráficos, já o PCMark é focado em testes mistos, que simulam desde o uso mais tradicional de um computador, com navegação na internet, até a reprodução de filmes e outras tarefas.

CPU    

Assim como nos games, é preciso testar o processamento dos dados dos aplicativos. Para ver se a placa dá conta do recado, trabalhamos com testes de processamento de vídeo, encriptação de dados e capacidade de o sistema lidar com processos multithread.

Transferência de dados

O chipset é apenas um dos itens que determina a qualidade da transferência de dados entre os sistemas de armazenamento. Além dele, uma série de componentes presentes na motherboard deve garantir que os arquivos sejam lidos/gravados sem problemas.

Memória

A placa-mãe precisa garantir que a memória funcione de forma adequada no sistema. É ela quem gerencia o fornecimento de energia e a atividade dos módulos, além de permitir que eles utilizem perfis de alto desempenho (XMP). O MaxxMEM² é um aplicativo de testes que mede a velocidade da memória em 4 categorias diferentes: cópia, leitura, escrita e latência. O PC Wizard faz testes similares, mas utiliza uma abordagem diferente e, no final, define um valor em pontos para o sistema. Com isso é possível comparar a máquina com outros equipamentos.

LAN

As placas-mãe são responsáveis por garantir a conexão de rede, seja com a internet ou com outras máquinas. Para saber quais são os limites da interface de rede, utilizamos o Lan Speed Test Lite, um aplicativo que foi criado para medir as taxas de transferência através da interface de rede. O programa cria um arquivo de tamanho determinado e o transfere pela rede até outra máquina para encontrar essas informações.

Consumo energético

O teste de consumo é feito medindo o quanto a placa-mãe está “puxando” da rede elétrica. Para isso, utilizamos um wattímetro entre o cabo de energia e a tomada. Para estressar a placa, rodamos um aplicativo de stress que faz o processador e a placa de vídeo trabalharem no limite de sua capacidade. O segundo teste é feito com o sistema em repouso, com todos os aplicativos fechados e o computador ligado no sistema operacional, sem realizar nenhuma tarefa.

Vale a pena?

A quantidade de placas-mãe compatíveis com o chipset Z97 é grande, e escolher a melhor delas acaba sendo uma tarefa complicada. Antes de tudo é preciso definir qual será a principal função do seu computador: trabalho, jogos etc.

A Z97-D3H é uma placa-mãe de categoria mediana, mas que oferece os principais recursos encontrados em modelos mais poderosos. Apesar de servir perfeitamente para montar uma máquina gamer, talvez esse modelo específico não seja o mais indicado, já que oferece apenas um slot PCI Express 3.0 x16. É claro que esse comentário deve ser descartado se você pretende trabalhar com apenas uma placa de vídeo.

A Z97-D3H da Gigabyte é uma placa que procura ser bem completa, trazendo até mesmo slots PCI tradicionais, o que faz dela compatível com uma grande quantidade de periféricos mais antigos, e isso é sempre interessante se o uso da máquina for para alguma tarefa mais específica.

Em termos de resistência, a Gigabyte já provou que consegue criar equipamentos de qualidade, principalmente graças ao selo “Ultra Durable”, que garante a proteção do seu investimento, já que a placa-mãe deve funcionar por vários anos sem problemas.

Em questão de desempenho, ela não fica atrás de outros modelos disponíveis no mercado. A vantagem está em termos de recursos e custo x benefício. Até o fechamento dessa análise, a Z97-D3H podia ser encontrada por cerca de R$ 500 no mercado nacional. O preço está justo para uma placa desse porte, e, sem dúvida, este é um excelente produto.

Cupons de desconto TecMundo: