A Apple deverá tornar oficial nesta terça-feira (27) a previsão feita por Steven Milunovich, analista da UBS, no início do ano: a China bateu os EUA na compra de iPhones em 2014. E Tim Cook, CEO da Maçã, também parece ter acertado em cheio quando afirmou que “era apenas uma questão de tempo até que o mercado chinês ultrapassasse o norte-americano”.

Números precisos sobre a quantidade de vendas de iPhones não foram ainda divulgados. Mas especialistas estimam que o último trimestre fiscal da Apple irá dar destaque para a China. “Dados sugerem que a demanda por iPhones apresentou um crescimento notável na China, levando o país a ser o responsável por até 35% das compras no respectivo trimestre – em comparação com os 22% do mesmo período do ano passado”, explica Milunovich.

No ano passado, 29% de iPhones foram vendidos a clientes dos EUA. Para alavancar as vendas dos modelos iPhone 5S, iPhone 6 e iPhone 6 Plus, a Apple fechou acordo em 2013 com a China Mobile, a maior operadora de telefonia móvel do país. Apesar de ter abocanhado uma fatia aparentemente generosa do mercado chinês, a Maçã não é a principal fabricante de smartphones por lá – este título, por enquanto, fica com a Xiaomi.

Investimentos junto da China por parte da Apple deverão ser feitos devido ao sucesso das vendas dos iPhones. “[A Apple] irá fazer mais na China do que aqui [nos EUA]. Isso certamente mostra o quão importante é este mercado para os futuros investimentos da empresa”, comenta também Ben Bajarin, analista da Creative Atrategies. Mais informações deverão ser publicadas amanhã (27). Fique ligado.

Cupons de desconto TecMundo: