Uma quadrilha de 22 pessoas que vendia dados de usuários de iPhones foi presa em Zhejiang, na China. De acordo com o Engadget, os envolvidos alegaram acesso aos bancos de dados da Apple — e as informações obtidas, como Apple IDs e números celulares, eram vendidas no mercado negro.

Para adquirir esses dados de maneira ilegal, potenciais consumidores pagavam entre 10 e 180 yuan (US$ 1,50 e US$ 26). No total, acredita-se que a quadrilha já levantou cerca de US$ 7,36 milhões na venda de dados privados.

Ninguém ainda sabe ao certo como os criminosos tiveram acesso aos bancos de dados da Apple

Infelizmente, não foram revelados quantas contas, dispositivos e números foram vendidos ou vazamento. Ainda, não há dados sobre vítimas fora da China — mas isso não significa que o golpe ficou restrito ao país.

Por outro lado, ninguém ainda sabe ao certo como os criminosos tiveram acesso aos bancos de dados da Apple — vale notar que a empresa se gaba por ser um 'bastião' da privacidade e segurança. Provavelmente, a ação foi realizado por aplicativos falsos colocados em lojas de apps ou esquemas de phishing.

Envolvidos

Cupons de desconto TecMundo: