O conceito de selfie é algo que pode irritar alguns, mas certamente não é o caso do vídeo acima. De 2007 a 2014, Rebecca Brown trabalhou em um projeto que consistiu em muito mais do que uma coleção de selfies. Com os olhos fixos na câmera e os cabelos e pele em constante mudança, ela registrou vários eventos importantes de sua vida, ainda que muitos deles só apareçam no vídeo por uma fração de segundo.

Em determinada parte do vídeo, você percebe que a aparência física de Rebecca começa a piorar. Manchas começam a aparecer em sua pele e uma anotação na tela explica que ela perdeu metade de seu cabelo durante um período de provas do vestibular.

Tricotilomania, dermatilomania e depressão

Acontece que ela sofre de um transtorno de controle dos impulsos chamado tricotilomania, uma doença que faz com que a pessoa literalmente arranque os cabelos da cabeça quando se sente ansiosa. Além disso, também sofre de dermatilomania, uma compulsão que faz com que o indivíduo se automutile, fazendo lesões em sua própria pele.

Chegando ao ano de 2011, a situação física de Rebecca piora e ela é diagnosticada com depressão, torna-se suicida em potencial e é internada. Apesar de sua luta, suas selfies sempre são tiradas com um sorriso, uma leve fagulha de esperança de alguém que claramente está sofrendo.

Pouco a pouco, sua aparência começa a melhorar, ela passa a controlar melhor seus complexos e seu cabelo torna-se saudável outra vez, tal como no início do vídeo, quando ela tinha 14 anos, em 2007. Ainda que seja fácil perceber a melhora de Rebecca durante o clipe de quatro minutos, ela diz que lidar com os distúrbios é uma batalha diária.

Cupons de desconto TecMundo: