(Fonte da imagem: Reprodução/Kaspersky)

Quando se trata de proteção contra aplicativos ou programas maliciosos, é bom ter atenção e não deixar a guarda muito aberta mesmo utilizando o celular. Quem reforça esse aviso é o Kaspersky, que recentemente publicou um relatório em seu site mostrando que o grupo encontrou no Android mais de 10 milhões de malwares e aplicativos infectados. Desse total, 200 mil novas amostras foram identificadas em janeiro deste ano, um número 34% maior se comparado com novembro de 2013.

Talvez seja difícil acreditar em uma estatística que aponta um número tão grande – afinal, o próprio Google Play oferece ao todo cerca de 1,1 milhão de aplicativos. Mas o grupo reforça que, além da loja oficial do Google, existem inúmeros outros serviços não oficiais que oferecem apps, e é exatamente aí que mora o grande perigo do celular ser contaminado.

Os desenvolvedores maliciosos se aproveitam que o mercado de aplicativos para smartphones cresce constantemente e que são poucas as ferramentas que investigam as ameaças que o aparelho pode sofrer. Usando o nome de jogos famosos ou outros aplicativos conhecidos, os criminosos conseguem acesso aos dados privados do usuário, as credenciais do banco e até mesmo o dinheiro na conta da vítima.

Medidas de prevenção

Seguindo o famoso ditado “melhor prevenir do que remediar”, o grupo finaliza com alguns alertas para quem baixa constantemente aplicativos novos nos celulares. Confira:

  • Nunca ativar o “modo de desenvolvedor” no aparelho;
  • Não ativar a opção “instalar aplicativos de terceiros”;
  • Baixar aplicativos apenas de canais oficiais ou mercados de apps certificados;
  • Quando instalar um novo aplicativo, ler com cuidado as solicitações do programa;
  • Usar um antivírus.

Cupons de desconto TecMundo: