CEO do Instagram, no Congresso, diz que a rede não faz mal para jovens

1 min de leitura
Imagem de: CEO do Instagram, no Congresso, diz que a rede não faz mal para jovens
Imagem: CNBC
Avatar do autor

O CEO do Instagram, Adam Mosseri, passou pela sua primeira audiência no Congresso dos Estados Unidos nesta quarta-feira (8). O executivo foi convocado pelos senadores do país para explicar recentes acontecimentos envolvendo a rede social, especialmente como a plataforma trata jovens usuários.

Nas falas, Mosseri defendeu que a Meta, empresa-mãe do Instagram e do Facebook, se preocupa com os usuários adolescentes e toma medidas para evitar danos e abusos. O CEO fez algumas promessas e sugestões, como citar a criação de padrões da indústria para verificação de idade e um controle parental mais rígido, além de sugerir que um grupo fosse formado para receber os relatórios da rede e avaliar se ela está no caminho certo.

É o suficiente?

Apesar de parecer mais confiante e trazer respostas mais objetivas que Mark Zuckerberg em ocasiões anteriores, Mosseri não escapou de algumas críticas. O executivo foi principalmente alvo de senadores que acreditam que o Instagram deu "passos de bebê" na direção dessas melhorias, com recursos que não vão reduzir o vício ou danos já provocados contra usuários.

InstagramO Instagram tem lançado recursos e medidas para proteger os mais jovens na rede social.

A senadora Marsha Blackburn, do partido Republicano por Tennessee, discorda que uma autorregulação é o suficiente e sugeriu que o Congresso precisa determinar as leis. As audiências sobre o tema devem continuar, desta vez com "ex-funcionários do Facebook" que não foram nomeados.

Fase difícil

O Instagram é um dos principais alvos das acusações dos últimos meses envolvendo a Meta, fruto do vazamento de documentos por Frances Haugen, ex-executiva da companhia.

A plataforma de fotos e vídeos foi acusada de negligenciar estudos que comprovavam danos à saúde mental de meninas adolescentes e não agir para reduzir as sensações negativas geradas pelo uso intenso do app.

Como resultado das denúncias, a empresa começou a lançar novas ferramentas de segurança e bem-estar, como limites de uso para adolescentes, alertas para você dar um tempo do feed e selfies para confirmar a identidade. O Instagram ainda cancelou temporariamente o lançamento de uma versão Kids, voltada apenas para uso de crianças.