Notebook lento causa queda na produtividade; veja números

3 min de leitura
Patrocinado
Imagem de: Notebook lento causa queda na produtividade; veja números
Imagem: Shutterstock
Avatar do autor

Você fica estressado ao usar um computador lento e que demora para realizar uma ação simples, como carregar uma página de navegador? Também não gosta de esperar vários minutos para o sistema iniciar e ficar pronto para você fazer suas atividades? É claro que essa não é uma surpresa, já que ninguém deve gostar desse tipo de situação.

Pensando nisso, a Dell conseguiu estabelecer uma relação entre o nível de estresse e o uso de computadores e sistemas ruins e cheios de bugs.

Brain On Tech

Estudo conduzido pela Dell em parceria com a EMOTIV.Estudo conduzido pela Dell em parceria com a EMOTIV.Fonte:  Shutterstock 

Um estudo realizado pela Dell Technologies em parceria com a EMOTIV, líder na área de soluções de neurociência e bioinformática, mapeou como a tecnologia afeta a produtividade e o bem-estar dos trabalhadores. Não era uma novidade que sistemas e dispositivos ruins poderiam ser nocivos nesses dois aspectos, mas agora há uma comprovação científica do fato.

O estudo global foi batizado de Brain On Tech. De acordo com os resultados, os profissionais que precisam lidar com computadores ruins, lentos e cheios de bugs levam cerca de 40% mais tempo para realizar tarefas se comparado àqueles que usam um PC moderno com softwares e serviços adequados.

O Brain On Tech também constatou a relação contrária. Um equipamento ideal pode gerar economia de até 23 minutos por hora para os profissionais. Isso equivale a 37% (ou 15 horas) das 40 horas semanais de trabalho.

Também é importante destacar que o estudo identificou que jovens profissionais "sofrem" mais ao lidar com tecnologias defasadas. Os participantes com menos de 26 anos de idade apresentaram desempenho duas vezes menor, em média, quando comparados às pessoas com 26 a 35 anos ao usar recursos tecnológicos ruins.

A relação com o estresse

Estresse no trabalho está diretamente ligado aos dispositivos usados.Estresse no trabalho está diretamente ligado aos dispositivos usados.Fonte:  Shutterstock 

Já sabemos que usar dispositivos ultrapassados pode ser estressante, mas quão problemático isso pode se tornar no longo prazo? O Brain On Tech revela que aqueles que vivenciam momentos de alto estresse por conta de problemas tecnológicos demoram três vezes mais para relaxar e se recuperar dos efeitos dessa jornada de trabalho – mesmo ouvindo uma música relaxante.

Colaboradores que precisaram lidar com sistemas e dispositivos lentos disseram terem se sentido duas vezes mais estressados. O estudo também apontou desconforto quase 30% maior do que para aqueles que foram convidados a cartar uma música em público.

Além de apontar os aspectos negativos, o Brain On Tech mostrou o reforço positivo que usar sistemas adequados proporciona. O estudo identificou que usar ferramentas ideais para o trabalho – após uma experiência estressante com um computador com falhas – foi tão emocionante para a pessoa quanto assistir a um vídeo de filhotes. De forma surpreendente, a mudança para um PC melhor produziu mais entusiasmo nos participantes do que receber uma recompensa financeira após os experimentos.

Como o estudo foi realizado

Estudo da Dell comprovou a relação entre estresse e uso de computadores lentos e problemáticos.Estudo da Dell comprovou a relação entre estresse e uso de computadores lentos e problemáticos.Fonte:  Shutterstock 

Os resultados do Brain On Tech são realmente surpreendentes, mas como esses dados foram coletados? A Dell e a EMOTIC desenvolveram um experimento personalizado para medir em tempo real as reações dos participantes do estudo, o que incluiu profissionais de várias idades e perfis.

A pesquisa acompanhou os entrevistados enquanto eles realizavam tarefas cognitivamente desafiadoras usando computadores bons e ruins. Para registrar dados como níveis de estresse, foco, entusiasmo e frustração, os profissionais usaram um headset especial. Para os testes, duas condições foram simuladas: uma com um “computador ruim” cheio de problemas e outra com um “computador bom” novo e de alto desempenho.

Vale ressaltar que a EMOTIV gravou e avaliou a atividade cerebral dos participantes para chegar a resultados precisos nesse estudo.

*****

Você também ficou impressionado com o estudo? Então clique aqui para conferir a página completa do Brain On Tech. Se você estiver procurando máquinas que não vão colocá-lo em uma situação estressante, a recomendação não poderia ser outra se não os computadores da Dell.

News de tecnologia e negócios Deixe seu melhor e-mail e welcome to the jungle.

Fontes