A leitura dos termos de privacidade custa mais caro do que parece

Tempo é dinheiro: leitura de cada política custa, em média, um mês de trabalho (Fonte da imagem: Reprodução/Google)

As pesquisadoras Aleecia McDonald e Lorrie Faith Cranor, da Carnegie Mellon University, nos Estados Unidos, realizaram uma pesquisa bastante curiosa. De acordo com o artigo publicado por elas (PDF em inglês), quem estivesse disposto a ler todas as letras miúdas dos serviços online gastaria, em média, 250 horas anuais, o que equivaleria a um mês inteiro de trabalho.

Para chegar a essa conclusão, McDonald e Cranor analisaram as políticas dos 75 sites mais populares do mundo, que possuíam textos cujas extensões iam de 144 a 7,6 mil palavras. Assim, elas chegaram à média de 2,5 mil palavras por texto e fizeram o cálculo com base na velocidade de leitura de 250 palavras por minutos. Dessa forma, um leitor padrão demoraria 10 minutos para ler cada licença.

Se informar sobre sua privacidade custa caro

Se informar sobre sua privacidade custa caro (Fonte da imagem: iStock)

Além disso, 212 voluntários participaram de uma pesquisa online que media o tempo necessário para que alguém pudesse ler e responder perguntas sobre as políticas de privacidade. Também era preciso estimar quantos sites diferentes uma pessoa costuma acessar e, para isso, as pesquisadoras usaram como base os dados levantados pela Nielsen: 119 sites únicos por ano.

E se você está achando um mês de trabalho caro demais para ler esse tipo de conteúdo, talvez fique ainda mais surpreso com a média nacional. De acordo com o artigo, se todos os internautas dos Estados Unidos lessem esses termos, o país teria um gasto anual de US$ 781 bilhões. Por incrível que pareça, esse ainda seria um custo parcial, já que a pesquisa não considerou a leitura de outras licenças que as pessoas se veem obrigadas a concordar antes de usar determinado site.

Cupons de desconto TecMundo: