Todos nós, gamers, torcemos o nariz quando uma catástrofe criminosa acomete os noticiários e, logo em seguida, as autoridades colocam os games como responsáveis pelo comportamento do agressor. Mas um estudo conduzido pelo doutor Christopher J. Ferguson, professor associado e membro da comissão de Psicologia da Universidade Internacional A&M, do Texas, revela que o consumo de mídia – games, filmes, séries etc – não é um indicador preciso de um futuro comportamento violento.

Os dados foram coletados de um órgão institucional de pesquisa para saúde de adolescentes e mostraram que a variação genética é um fator proeminente para um eventual comportamento agressivo. Esses dados correspondem a 58% em mulheres e 20% em homens.

“Basicamente, descobrimos que o fator genético e algumas questões sociais podem ser indicadores de futuros comportamentos agressivos”, disse Ferguson. “Apesar da contínua preocupação sobre as influências de conteúdos de mídia, a exposição a tais conteúdos não parece ser um indicador que represente risco para a criminalidade adulta”, continuou.

Ferguson ressaltou que um elemento sozinho não necessariamente determina um comportamento adulto violento, mas sim uma combinação de fatores. “O núcleo familiar de uma criança somado ao status socioeconômico dela pode ser uma possibilidade de um futuro comportamento criminoso”, frisou o doutor.

“As pessoas eventualmente julgam alguns dos conteúdos de mídia, mas a questão é se ela pode ser um indicador de comportamento agressivo. A resposta parece ser não”, completou.

Via Baixaki Jogos

Cupons de desconto TecMundo: