Quem já utilizou um software livre para editar documentos de texto com certeza já se deparou com alguns formatos bem diferentes, como ODT, ODS e ODP. Mas você sabe por que os desenvolvedores não usam apenas extensões como DOC, XLS e PPT?

Os formatos utilizados pelo Microsoft Office são proprietários. Isso significa que, para criar uma aplicação que faça uso dessas extensões, é preciso pagar. Por isso, o ODF foi criado. Trata-se de um formato livre e aberto para a comunidade. Qualquer pessoa que queira desenvolver uma aplicação com suporte às extensões do tipo OD pode fazê-lo sem se preocupar com direitos autorais.

Como surgiu o ODF?

O padrão ODF foi criado pelo OASIS, uma organização que tem como objetivo promover padrões digitais de documentos, imagens e outros tipos de arquivos utilizados com frequência na internet. Todas as especificações do novo formato são criadas em reuniões dos comitês técnicos.

Entre 2005 e 2006, o ODF foi homologado pela ISO sob a identificação ISO 26300. Isso significa que o OpenDocument Format passou a ser um padrão reconhecido internacionalmente.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

A aprovação no Brasil, dado pela ABNT, veio só em 2008 (identificado como NBR ISO 26300), o que causou certa euforia entre os utilizadores de software livre. Isso porque, de acordo com o Código de Defesa do Consumidor brasileiro, quando uma norma da ABNT passa a existir, todos os produtos do mercado devem incorporá-la.

 

Quem utiliza?

No Brasil, muito órgãos públicos passaram a utilizar o ODF como formato-padrão para seus documentos. Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Celepar, Correio, Exército Brasileiro, Itaipu Binacional, Marinha do Brasil e Petrobrás são apenas alguns exemplos. Além disso, o Governo do Estado do Paraná também passou a utilizar o ODF em toda a sua documentação interna.

Ao redor do mundo, a lista de países que incorporaram o formato cresce a cada dia. África do Sul, Alemanha, Bélgica, Croácia, Dinamarca, França, Holanda, Portugal, Japão, Rússia e muitos outros já aderiram ao ODF.

Como identificar?

Os arquivos que utilizam o padrão ODF podem ser facilmente identificados por suas extensões. Acompanhe na lista abaixo os principais formatos.

 Extensão

Tipo de documento 

.odt

Documento de texto

.ods

Planilha eletrônica 

.odp

Apresentação de slides 

.odb

Banco de dados 

.odg    

Desenho vetorial 

.odf

Equação matemática 

Você certamente já se deparou com algumas dessas extensões enquanto estava navegando pela internet. Quem utiliza o sistema operacional Linux sem dúvida já trabalhou com arquivos ODF.

Abrindo um documento ODF

Existem diversos aplicativos no mercado que permitem abrir e editar documentos que utilizam os padrões ODF. Os mais famosos são as suítes Apache OpenOffice e o LibreOffice, que oferecem editor de texto, ferramentas para trabalhar com planilhas e apresentações de slides e também aplicações de gerenciamento de banco de dados.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Alguns serviços online também incorporaram os formatos livres em sua lista, como é o caso do Google Drive, da gigante Google. Outra empresa de renome que oferece alternativas para quem trabalha com ODF é a IBM, com a suíte IBM Lotus Symphony.

Se você não quer deixar o Microsoft Office de lado, não tem problema. Existem diversos plugins para tornar o Word, Excel e PowerPoint compatíveis com o formato livre. São eles: ODF Add-in for Microsoft Word, ODF Add-in for Microsoft Excel e ODF Add-in for Microsoft PowerPoint.

Cupons de desconto TecMundo: