Você sabia que a Tesla não foi fundada pelo bilionário Elon Musk, que sem dúvidas é a figura mais famosa por trás da empresa? E que ela já ficou a dias de declarar falência? O TecMundo vai falar nesse capítulo da história da tecnologia sobre a companhia automobilística que mais dá o que falar atualmente.

Ela tem uma história recente se comparada com a de outras empresas que já foram retratadas por aqui, mas nem por isso deixa de ser interessante. Ficou curioso? Então confira abaixo a trajetória completa da Tesla.

Engatando a primeira

A Tesla começou em 2003 e veio da mente dos colegas Martin Eberhard e Marc Tarpenning. Ainda em 97, eles cofundaram a NuvoMedia, empresa que lançou um dos primeiros eReaders do mercado, o Rocket. Em 2000, ela foi vendida por 187 milhões de dólares e eles puderam embarcar em outro mercado: o de carros elétricos.

Um eReader.O eReader dos dois fundadores da Tesla.

Nascia então em Palo Alto, na Califórnia, a Tesla Motors. O nome é uma homenagem ao cientista Nikola Tesla, revolucionário em conceitos envolvendo corrente elétrica e fornecimento de energia, mas que não recebeu o devido reconhecimento na época.

Usar eletricidade não era certeza. O objetivo principal era ter uma energia alternativa, indo de gás natural até hidrogênio. Decidida a fonte, o segundo passo era definir bem o público-alvo. Ela não queria só lançar carros que eram ecologicamente sustentáveis, mas não tinham um visual de primeira e bom desempenho. Se era pra entrar nesse ramo, era pra ser a melhor.

Dois homens junto de um carro.Os cofundadores da Tesla ao lado do Roadster.

A Tesla começa cheia de problemas e o primeiro é a situação dos carros elétricos. No começo dos anos 2000, a indústria tinha destruído vários projetos parecidos de veículos do tipo, como o General Motors EV1. Os culpados apontados iam desde o desinteresse do público e a dificuldade na produção de baterias de longa duração até a pressão do resto do mercado, totalmente focado nos combustíveis fósseis.

O salvador da pátria

A parte financeira também não ia bem, e aí que entra Elon Musk. É dele o primeiro financiamento da Tesla, de 7,5 milhões de dólares em 2004. Ele vira presidente do conselho.

Nessa época, o Musk já era respeitado no mercado da tecnologia, mas era mais visto como um visionário cheio de grana. Ele foi tirado do cargo de CEO do PayPal em 2000 e já tinha fundado a companhia de foguetes e exploração espacial SpaceX em 2002. Em 2005 e 2006, ele fez outras contribuições em forma de investimento.

Nesse começo, o Musk não tinha como participar das operações diárias, mas era de longe o que mais dava palpites no design do primeiro carro da Tesla. Isso vai gerar alguns atritos que são importantes no futuro.

Antes de estrear em 2006, a Tesla passou muito tempo no laboratório. Ela começou pegando emprestado um modelo que usava baterias de íon-lítio chamado Tzero, da AC Propulsion, pra servir como cobaia de conceitos. Foi nesse carro que a Tesla desenvolveu o sistema proprietário de eletrônica, motor e conector de recarga.

Um homem dirigindo um carro.O T-Zero

Esse é outro diferencial dessa montadora. Quase tudo o que tá presente no Roadster era uma tecnologia desenvolvida do zero ou adaptada pela própria empresa. Isso aconteceu por dois motivos: pra não precisar pagar patentes e licenciamentos pras outras marcas e porque ela nunca tava satisfeita com o desempenho dessas tecnologias emprestadas.

Pé na estrada: o Roadster

O primeiro modelo é o Roadster, um esportivo que fazia até 350 km em uma carga e vai de 0 a 100 km/h em pouco menos de 4 segundos. Ele teve uma produção limitada e foi recebido de forma mista pela comunidade. A Tesla até processou a BBC por difamação, porque o programa Top Gear pegou pesado no review, mas perdeu a ação.

Elon Musk ao lado do RoadsterElon Musk e o modelo de estreia da Tesla, o Roadster

Em 2005, ela fecha uma parceria com a Lotus pra fabricação dos carros. O israelense Ze'ev Drori assume como CEO em 2007 com a missão de tirar o Roadster do papel, e ele conseguiu. A produção começa em março de 2008 e os primeiros carros são entregues em setembro.

O especial Model S

O segundo carro da Tesla foi anunciado em junho. É o Model S, que custaria 50 mil dólares na versão mais básica. O visual seria especial, com projeto de Franz von Holzhausen, um dos designers por trás do visual do New Beetle.

O carro Tesla Model S.Model S.

Ele é o primeiro sedan feito do zero pra ser 100% elétrico, o que deixa ele com um design bem diferenciado e até um porta-malas na parte da frente. A bateria é duas vezes maior que a do Roadster e ele saiu em várias versões, com velocidade máxima em torno de 250 km/h.

Ele foi o primeiro modelo elétrico que liderou as vendas de carros em um país, sendo um sucesso antes na Noruega e depois virando o segundo elétrico mais vendido no mundo.

Pedras no caminho

Em outubro de 2008, Musk pega o cargo de CEO e toma ainda mais decisões na empresa. Mas ele não tem folga, não, porque o ano seria longo e difícil tanto pra ele quanto pra empresa.

Para começar, a crise econômica bateu forte. Um quarto dos funcionários saiu, o governo não ajudou ela ao contrário de outras montadoras e Musk tinha certeza que fecharia as portas no fim do ano. Ele tinha que escolher entre salvar a Tesla ou a SpaceX, e entrou num ritmo frenético de negociações. Quase no Natal ele fechou um investimento salvador de 40 milhões.

Em maio de 2009, a Tesla passa pelo primeiro recall de segurança. Foram 345 Roadsters que passaram por ajustes no sistema de parafusos das rodas traseiras. O problema foi na fabricação da Lotus e, pra solucionar, ela mandou os técnicos pra casa dos consumidores.

Uma Tesla Charging StationUma das estações de recarga para carros da Tesla.

Mas não tem só notícia ruim, porque em julho deste ano é também quando a Tesla registra lucro pela primeira vez. Ela ainda consegue uma parceria com a alemã Daimler e outra com a Toyota, e garante um empréstimo com o Departamento de Energia dos Estados Unidos.

E os fundadores originais? Eberhard foi rebaixado na empresa até ser desligado em 2008, e virou acionista. Ele processou Musk por difamação e tirar crédito dele na criação do Roadster. O processo acabou em acordo. Hoje, ele cuida de uma fornecedora de energia elétrica. Tarpenning é consultor na área automotiva e saiu junto do amigo, mas sem tanta briga.

O poderoso Model X

E o sonho continua com o anúncio do terceiro carro, o Model X. Ele é o primeiro modelo SUV da Tesla e tem portas que abrem pra cima. Ele comporta sete pessoas, com assentos que podem ser movidos pra dar espaço pra cargas. Ele anda 474 km sem precisar de tomada.

O carro Tesla Model X.O Model X.

A oferta pública de ações da Tesla acontece em junho de 2010. No mesmo ano, ela abre a sua principal fábrica em Fremont, na Califórnia. Dois anos depois ela começa a instalar as charging stations em pontos estratégicos da Califórnia. Esses pontos de recarga expressa já permitem que você faça viagens de uma costa a outra dos Estados Unidos só parando neles.

Em junho de 2012, começa a venda do Model S. Mas quem disse que seria fácil? Em outubro do ano seguinte, um dos carros pegou fogo depois de bater em uma peça de metal de outro veículo.

Um carro pegando fogo.O Tesla Model S em chamas.

O motorista foi avisado do fogo pelo sistema onboard e não se feriu. Seis casos foram registrados ao longo do ano, alguns de carros parados carregando.

Isso derrubou as ações da companhia e fez ela enviar várias atualizações de software nos setores de segurança.

Em 2013 e de novo em crise, a Tesla quase foi vendida pra Google por 6 bilhões de dólares, mas o acordo não foi pra frente. Os CEOs Larry Page e Sergey Brin são amigos pessoais de Musk e até investiram nela no começo. Musk precisava de dinheiro desesperadamente e colocou funcionários de todos os departamentos no setor de vendas e entrega de carros.

Novos ares e o Model 3

Em 2015, a Tesla parece ter deixado todos esses problemsa pra trás. É o ano em que o Model X começa a ser entregue, o Model S passa as 100 mil unidades vendidas e a Powerwall é apresentada. Esse é aquele conjunto de baterias domésticas que você gruda na parede e usa pra economizar energia ou como gerador alternativo em caso de apagão.

Tesla Powerwall em uma garagemA Tesla Powerwall pode ser usada inclusive para carregar os veículos.

Mas a grande estrela do ano é o sistema de piloto automático. Ele é considerado um dos grandes passos na direção de carros autônomos e usa um conjunto de câmeras e sensores ao redor do carro pra tirar o trabalho do motorista. Você pode tomar controle da direção quando quiser e atualizações constantes deixam ele sempre mais inteligente. As leis do setor ainda são debatidas e acidentes já aconteceram, então a tecnologia tem muito que evoluir.

Mais recente modelo da Tesla, o Model 3 é um sedan de luxo de quatro portas, uma versão mais simples e acessível do Model S. Em vez de um painel complexo, o carro tem uma tela de 15 polegadas que deixa ainda mais claro que o Autopilot veio pra ficar. Ele também é considerado o mais estável e seguro da montadora. Se deu certo? A espera pra receber um Model 3 depois da encomenda chega a 18 meses.

Um carro modelo Tesla Model 3.Model 3.

A Tesla também tem uma fábrica chamada Gigafactory pra produzir baterias. Ela ainda está em construção em Nevada, mas já opera parcialmente. Agora em 2017, ela já mudou de nome, tirando o Motors e virando Tesla Inc., e incorporou a SolarCity, que também pertence a Elon Musk, como uma subsidiária.

Dois grandes passos

Em novembro de 2017, ela apresentou mais novidades. A primeira é um caminhão elétrico autônomo, o Tesla Semi, que só sai em 2019. Ele tem um visual futurista, design para economizar em bateria e dois painéis de navegação.

Um caminhão da Tesla.

A segunda é a nova geração do Roadster, com quatro assentos, mil km rodados em uma só carga e custo de 200 mil dólares. Ele promete ser o carro mais rápido do mundo quando sair, mas isso vai só em 2020. A última é um powerbank que é bonito, mas sem o padrão moderno USB-C e com baixa capacidade. Vai entender.

Um carro vermelho.

...

A Tesla hoje já é uma das maiores montadoras dos Estados Unidos e uma das mais importantes do mundo. Ela já vale mais que várias concorrentes clássicas que pararam no tempo e deu todo um gás aos carros elétricos e autônomos, já que várias empresas resolveram investir nesses setores pra não ficarem pra trás.

Se você quiser ver a história de outras empresas contadas aqui no TecMundo, é só deixar a sugestão nos comentários. Confira abaixo as que já apareceram neste quadro: