A afirmação pode parecer estranha, mas a verdade é que, para a Microsoft, hoje é mais lucrativo torcer pelo sucesso do Android do que investir no próprio sistema operacional mobile. A relação custo-benefício é considerável. Segundo um relatório publicado por Walter Pritchard, analisa da Citi, a empresa lucra hoje até cinco vezes mais com o SO da Google do que com o seu próprio produto.

Exemplos como esse existem aos montes no mundo da tecnologia. Diferente do que os fãs de uma marca ou de outra pensam, assumindo uma posição de rivalidade que muitas vezes beira o ódio, o relacionamento comercial entre as companhias é baseado em apenas uma regra: o lucro. Se um negócio com o concorrente pode ser bom para ambas as partes, não tenha dúvida que muitas diferenças serão deixadas de lado.

Android vai bem? Bom pra todo mundo

No caso da Microsoft, seus lucros sobre as vendas de aparelhos com Android têm uma explicação simples. Em 2010, a empresa de Bill Gates entrou com uma ação na justiça contra a HTC, alegando que ela teria violado uma propriedade intelectual da companhia. A razão do processo nunca foi revelada ao público.

Usando Android porque é contra a Microsoft? Ops... (Fonte da imagem: Divulgação/HTC)

Entretanto, com o processo na justiça, as empresas HTC e Microsoft optaram por fazer um acordo extrajudicial que fosse benéfico para as duas companhias. Assim, a HTC poderia continuar vendendo os seus smartphones, sem que o seu desempenho no mercado fosse prejudicado. Por outro lado, a Microsoft passaria a receber pelo uso por parte da HTC de uma de suas patentes.

No acordo, a HTC concordou em pagar US$ 5 (o equivalente a R$ 10) para a Microsoft por cada aparelho com Android vendido pela companhia. Somente em 2010, por exemplo, a HTC vendeu 30 milhões de aparelhos, o que representa um lucro de US$ 150 milhões (o equivalente a R$ 300 milhões).

A disputa judicial com a HTC foi uma das poucas que vieram a público. Contudo, sabe-se que a Microsoft, pelo mesmo motivo, processou outras empresas fabricantes de smartphones. Muitas podem ter optado por acordos extrajudiciais semelhantes, o que torna a projeção desses valores ainda maior.

A empresa de consultoria Citi aponta ainda que provavelmente existem outros acordos como esse junto a outras empresas. Ou, se ainda não existem, vão existir em breve, uma vez que algumas discussões ainda não tiveram o veredito final dado pela justiça. Como já há um precedente de vitória para a Microsoft, acordos como o firmado com a HTC seriam interessantes para os dois lados envolvidos.

Direto na fonte

Além do acordo específico relacionado ao Android, a Microsoft possui também outros termos de contrato com quatro das cinco principais fabricantes de eletrônicos do mundo. Pelo acordo, a Microsoft detém os direitos de licenciamento sobre a fabricação de produtos que utilizam tecnologias que são necessárias para a criação de aparelhos que rodam o Android.

Um dos acordos, por exemplo, foi assinado com a Pegatron, um dos maiores fabricantes de eletrônicos de Taiwan. A empresa é responsável pela montagem de produtos para a Apple, HTC e HP, além de funcionar como uma subsidiária da ASUS. Todos os e-readers, tablets e smartphones fabricados pela empresa asiática funcionam com o Android ou o Chrome.

O resultado disso é que 70% dos dispositivos com Android usados nos Estados Unidos passam pelas mãos da Pegatron e, consequentemente, geram lucros para a Microsoft. Ou seja, se você odeia a empresa fundada por Bill Gates e se orgulha de usar um aparelho com SO livre, é melhor pensar duas vezes antes de defender com unhas e dentes a sua empresa preferida. Longe da mídia, elas são mais unidas do que a propaganda costuma transparecer.

Fonte: Gizmodo e Mashable

Cupons de desconto TecMundo: