O FBI (Federal Bureau of Investigation) acusou novamente um funcionário da Apple de tentativa de roubo de propriedade intelectual relacionada ao projeto de carro autônomo da empresa. Jizhong Chen, que é chinês, foi acusado de roubar segredos comerciais baseados em ações que, supõe-se, datam de quando ele foi contratado como desenvolvedor de hardware, no ano passado. Após ser flagrado tirando fotos no lugar onde o projeto está sendo desenvolvido, a Apple descobriu que Chen guardava mais de dois mil arquivos contendo material confidencial e de propriedade da empresa, o que inclui manuais, esquemas e diagramas. Além disso, segundo o FBI, o funcionário também tirou várias fotos de telas do seu computador como uma forma de burlar os sistemas de monitoramento. 

Créditos: Reprodução/Glassdoor

Chen é um dos 5 mil funcionários da empresa que participaram do "Projeto Titan". Além disso, de acordo com o documento do FBI, ele fazia parte da equipe de engenharia elétrica, e era um dos 1.200 funcionários envolvidos diretamente no desenvolvimento do carro autônomo. Agora, Chen corre o risco de ser demitido. Ele afirmou à Apple que havia feito duas entrevistas de emprego, incluindo em uma empresa chinesa de veículos autônomos. Ele foi preso um dia antes de viajar à China. O funcionário afirmou que planejava visitar o pai, que estava doente. Chen pode pegar até 10 anos de prisão e multa máxima de 250 mil dólares.

Essa é a segunda vez que o FBI acusa um funcionário da Apple pela mesma razão nos últimos sete meses. Diversas instituições governamentais dos Estados Unidos vêm acusando, há algumas décadas, o governo chinês de participar de tentativas de espionagem das principais empresas de tecnologia do país. Mas essas acusações se tornaram mais frequentes nos últimos tempos. 

No último mês de outubro, o Departamento de Justiça do país acusou 10 chineses, que trabalhavam em empresas do ramo aeroespacial, de hackers. Em novembro, o departamento acusou uma empresa estatal de roubar segredos comerciais da Micron Technologies, uma fabricante de chips americana. Além disso, recentemente o Canadá prendeu Meng Wanzhou, diretor financeiro da Huawei, a pedido do governo dos Estados Unidos. No início, o motivo da prisão fazia referência à possíveis violações das sanções do país contra o Irã. Mas na última semana o Departamento de Justiça acusou o diretor Wanzhou e a Huawei de fraudar e roubar a T-Mobile. 

As frequentes acusações acontecem em um momento de crescente tensão na guerra comercial entre os Estados Unidos e a China. 

Cupons de desconto TecMundo: