Os iPhones são, sem sombra de dúvidas, alguns dos aparelhos mais cobiçados do mercado de celulares. Estes pequenos notáveis têm potência de processamento, telas completamente sensíveis ao toque e muitas outras tecnologias inovadoras, que permitem muito mais interatividade.

No entanto, há uma barreira enorme que impede a maioria dos usuários de aproveitar as vantagens do aparelho para a personalização: o formato tradicional MP3 não é aceito como toque e, uma vez que você só pode sincronizar seus dados pelo iTunes, não é possível transferir os dados para pastas, como o que é feito em outras marcas do mercado.

Os toques devem estar sempre em formato M4R (uma variação do M4A), para que possam ser adequadamente reconhecidos pelo programa da Apple. E agora, como fazer?

Quer seu iphone mais personalizado?

Não se preocupe, pois com este guia passo a passo você aprenderá a simplificar a criação destes arquivos, bastando ter o programa iRinger e a música (ou vídeo) em seu computador para converter o trecho desejado no melhor dos toques para iPhones! Vamos lá!

1º Passo

Importando o áudio

Como colocado acima, este tutorial utiliza o iRinger. Clique aqui para baixá-lo.

Com o programa já instalado e aberto em seu computador, clique no botão “Import” — conforme mostrado abaixo — e escolha a música (ou vídeo) a ser transformada em toque (não se preocupe, o arquivo original permanecerá intacto!).

Clique em import para começar

2º Passo

Selecionar o trecho adequado

Agora que o áudio do arquivo já foi importado para o programa, o próximo passo é selecionar o trecho que virará seu toque. Para isso, simplesmente arraste a faixa de áudio de um lado para o outro, clicando sobre ela com o botão esquerdo do mouse.

Clique e segure o botão esquerdo do mouse para arrastar

 

Dicas:

O tempo de início e de finalização são exibidos logo abaixo do espectro de áudio. Uma boa dica para aqueles que querem toques perfeitos é buscar trechos da música que correspondam a pausas breves ou pontos mais lentos com transições suaves, justamente para que a música não fique tão impactante ou com um corte artificial. Fique de olho também na intensidade sonora pelo espectro.

Não deixe espaços sem som no início!

3º Passo

Pré-visualizando e reposicionando

Para pré-visualizar o toque e determinar se a posição escolhida está adequada, pressione o botão “Play” ou a barra de espaço no seu teclado, caso já tenha clicado nele. Se necessitar realizar ajustes finos (mais precisos) para a posição de início, clique e segure o botão direito ao invés do esquerdo ao arrastar a faixa.

4º Passo

Ajustar duração, volume e curva de entrada

Com tudo em seu devido lugar, é hora de dar o acabamento no toque. Para isso, vamos utilizar os comandos disponíveis no canto inferior direito do programa, assinalado aqui:

Olho nos ajustes!

O primeiro deslizador controla a duração do toque, de um décimo de segundo até trinta. O segundo ajusta o volume, limitando a amplitude do espectro sonoro. Ele é ideal para batidas muito fortes e músicas já com volume acima do normal, evitando que, uma vez colocados no seu telefone, os toques emitam chiados pelos alto-falantes.

Por fim, a opção Fade ativa a entrada (IN) ou a saída (OUT) gradual do volume, para que o som não comece a tocar de modo súbito. Utilize-a caso não consiga obter um trecho mais calmo, como sugerimos acima.

5 º Passo

Recheando seus toques de efeitos

Logo abaixo de Fade há o texto “No effects: click here to add effects”. Como você imaginou, basta clicar sobre ele para abrir a caixa de efeitos de áudio!

CLique para adicionar efeitos!

Nesta caixa que se abrirá à esquerda da janela principal, existem cinco botões principais para a adição dos efeitos. As modificações sonoras são:

•    Delay: janela de seleção dos efeitosAdiciona um pequeno eco, em volume reduzido, ao som original.

•    Reverse: Você é do tempo dos LPs, “bolachões”? O que este efeito faz é tocar a faixa ao contrário, para efeitos psicodélicos e experimentais, assim como quando os discos eram girados ao contrário.

•    Boost: Para muitos, a necessidade não é de reduzir o volume, mas sim aumentá-lo. É exatamente a função deste “amplificador” virtual.

•    Flanger: Efeito muito popular entre os guitarristas do mundo inteiro. O que ele faz é reproduzir a mesma faixa de áudio duplicada, mas aplicando um leve atraso alternante a uma delas, causando a sensação de “vai e vem”.

•    Overdrive: Outro conhecido dos músicos, este efeito se trata de uma distorção para áudio, comumente aplicado a instrumentos de corda.

Uma vez adicionado e selecionado, qualquer efeito pode ter seus parâmetros modificados através do botão “Settings”, que fica logo abaixo da lista. A distorção, por exemplo, pode ser reduzida e macia, ou extremamente pesada, suja. Vai da sua necessidade.

Caso ainda deseje aplicar a mesma combinação de efeitos (e seus respectivos ajustes) a outros toques, ou até mesmo sobre suas composições próprias, clique sobre “Export” para exportar a configuração em forma de arquivo.

6º Passo

A criação!

Tudo está pronto? Sem mais ajustes? Conferiu tudo com o botão de pré-visualização? Então é hora de gerar o arquivo M4R.

Clique sobre “Export” na janela principal, cancele o anúncio do desenvolvedor e, na nova janela que se abrirá, escolha o destino do arquivo (a pasta de sua preferência), o título, o intervalo de reinício do som (Looping, caso ele atinja seu fim), deixe a caixa “Export to iTunes” marcada e clique sobre “Go!”.

Siga a ordem para não se perder.

Parabéns! Seu toque será criado em alguns instantes e automaticamente adicionado à sua biblioteca do iTunes, para que você possa sincronizá-lo imediatamente com o iPhone.

Caso tenha problemas nesta última etapa (com a adição automática à biblioteca), navegue até a pasta em que o arquivo foi salvo e arraste-o para dentro da janela do iTunes manualmente. Não se preocupe, o programa o colocará no local correto sem a sua ajuda.

Se ainda tiver dúvidas com relação à criação dos seus toques, assista ao vídeo abaixo, no qual criamos um toque do começo ao fim a partir de um arquivo MP3.

 

 

Vantagens e desvantagens

Como você viu, o processo é extremamente simples com o iRinger, contudo seus toques ficam limitados a apenas trinta segundos de duração (a menos que você compre a versão completa do aplicativo).

De qualquer modo, a menos que você realmente demore para atender, isso será irrelevante.

Uma segunda opção

Criando pelo próprio iTunes!

Acredite, não é o modo mais prático de todos e nem o mais preciso, mas é o único que não precisa de ferramentas auxiliares para que você crie seus próprios ringtones.

O tutorial completo e detalhado pode ser encontrado aqui.

Em síntese, o que você precisa fazer é escolher a música a ser convertida em toque, inseri-la em sua biblioteca, marcar a faixa desejada (em minutos e segundos), transformar este trecho em formato M4A (AAC) e copiá-lo para a área de trabalho.

Depois de tudo isso, você ainda tem que apagar ambas a faixa convertida da sua biblioteca do iTunes e reinserir apenas o toque para burlar o sistema. Como colocado acima, o método não é dos melhores. Utilize-o apenas em casos extremos em que você só pode contar com o iTunes.

E aí, gostou da dica e quer compartilhar suas opiniões conosco? Fique à vontade para postar! Apenas lembre-se: respeite os outros, principalmente em locais públicos, não deixando o volume do seu toque muito alto. Seus próprios ouvidos agradecem.

Até a próxima!

Cupons de desconto TecMundo: