O YouTube vem investindo bastante em música e, além disso, também no relacionamento da empresa com a indústria musical como um todo. Parte desse esforço envolve promover alguns artistas tanto na web quanto fora dela, mas a empresa vem fazendo uma exigência inusitada para os seus contratados: não falar mal da firma.

Segundo reportagem do Bloomberg, fontes anônimas inteiradas da matéria afirmam que a companhia vem incluindo uma cláusula de não depreciação nos contratos com seus artistas promovidos. Com isso, eles ficam impedidos de falar mal do YouTube publicamente e, caso contrário, sofrem algumas sanções.

De acordo com a mesma fonte, apesar de esse tipo de acordo ser comum na indústria, mas os principais concorrentes do YouTube não costumam incluí-los em seus contratos. Além de músicos, canais envolvidos em produções originais da plataforma, que são lançados no YouTube Red, também estariam sendo submetidos à mesma cláusula.

YouTube não quer que seus contratados falem mal da empresa

As restrições impostas pelo contrato iriam além de simplesmente não tecer críticas ao site, informa a fonte anônima, mas sem entrar em mais detalhes. A intenção do YouTube com isso seria bem simples: evitar que as pessoas que recebem dinheiro diretamente da plataforma reclamem, por exemplo, sobre a distribuição do dinheiro com base na audiência.

Ao que tudo indica, o negócio por si só não tem sido bom o suficiente a ponto de o YouTube optar por colocar no contrato uma “proteção legal” à sua reputação.