Quando o filme ainda imperava no mundo da fotografia, as pessoas clicavam muito menos, afinal cada foto tinha um custo elevado para revelar, ampliar e armazenar. Já com as câmeras digitais, apesar de as fotos não saírem de graça como a maioria das pessoas pensa, a quantidade de imagens produzidas é muito maior.

Organizar todo esse material é um dos grandes desafios do fotógrafo digital, principalmente no caso dos amadores. Mesmo eles não precisando encontrar com absoluta presteza uma determinada foto – como um profissional precisa, quando um cliente pede – é sempre bom saber como encontrar as imagens favoritas.

Os dados EXIF – Exchangeable image file format, ou formato de arquivo de imagem intercambiável – ajudam profissionais, amadores e curiosos a manter sua fototeca acessível, além de oferecer uma série de informações interessantes sobre as imagens.

Calendário invisível

Novamente em um paralelo com a fotografia analógica, entre o fim da década de 1980 e o início de 1990, os datadores eletrônicos viraram moda nas câmeras compactas.

Datador MF-12 da Nikon, do início dos anos 1980

Com eles, as fotos tinham em um de seus cantos a data impressa sobre a imagem, facilitando a montagem dos álbuns de viagem ou a recordação de filmes que passaram muito tempo esquecidos antes da revelação.

Um dos dados mais básicos encontrados entre as informações EXIF é exatamente a data da imagem. A grande diferença é que, no formato digital, dia e hora – com precisão de segundos – do disparo são guardados sem perder nada da imagem retratada.

Como você fez esta foto?

Foto por Luciano de Sampaio

Entre todos os metadados guardados pelas câmeras digitais, e principalmente pelas dSLR, as informações de configuração do equipamento no momento do clique são as mais utilizadas pelos profissionais.

Ao fazer a captura de uma imagem, a câmera guarda dentro do arquivo todos os setups da fotografia. Características da lente, abertura do diafragma, velocidade de obturador, ausência ou presença do flash, sensibilidade ISO do sensor e até mesmo o espaço de cor usado para cada foto são armazenados junto à imagem.

O Windows Explorer exibe dados EXIF na aba Detalhes da janela Propriedades de uma foto

A princípio, parece mesmo algo que só serve para profissionais, mas essas informações são ainda mais importantes para quem está começando e quer aprender sobre a técnica fotográfica. Através da análise crítica das configurações de cada disparo, fica muito mais fácil entender os efeitos de cada configuração na imagem, e descobrir assim como cada parte da câmera afeta o resultado final da fotografia.

Além do “quando”, o “onde”

Outra aplicação interessante dos dados EXIF é a possibilidade de incluir coordenadas geográficas nas suas fotos. Aqui mesmo no Baixaki você já viu como aplicar – através do Picasa – a geolocalização de uma imagem. Certas câmeras – principalmente as de celulares mais modernos – já possuem maneiras de adicionar a referência de local aos metadados da fotografia automaticamente.

Outros metadados

Miniaturas de fotografias no Explorer também são dados EXIFAlém dos dados descritos acima, existe uma série de outras informações colocadas junto aos arquivos de imagem pelos fabricantes, como o modelo da câmera, a quantidade de fotos já feitas com o equipamento etc. Até a miniatura que você vê no Windows Explorer ao abrir uma pasta de fotos é guardada como EXIF.

Vários programas também permitem a inclusão de outros grupos de dados, como o IPTC e outros padrões. Através dessas informações é possível adicionar palavras-chave, copyright, etc. ao arquivo da imagem.

Usando os dados EXIF

Além do uso didático já mencionado, as metainformações carregadas pelos dados EXIF também ajudam na hora de encontrar uma imagem em seu computador ou na internet.

Online

O Flickr, por exemplo, permite buscar utilizando tags, que nada mais são do que palavras-chave incluídas na imagem através de metadados. Além disso, no site também é possível – dependendo das preferências do ator da foto – analisar as informações EXIF de cada fotografia, e assim descobrir como as imagens são capturadas.

Alguns dados EXIF exibidos pelo Flickr em

Diversos outros serviços web que permitem aos usuários exibir galerias de foto também permitem a visualização dessas informações sobre as imagens.

Localmente

Existem diversos aplicativos capazes de trabalhar com dados EXIF que você pode instalar em seu computador. Em programas simples como o Picasa e até em aplicativos profissionais como o Adobe Lightroom, as metainformações fazem parte do processo de gerenciamento e organização das fotos.

Dependendo da quantidade de fotos que você produz, e da frequência com que você as descarrega no seu computador – que deveria ser “sempre que eu chego em casa” – encontrar as imagens torna-se muito mais fácil a partir desses dados.

Informação EXIF no Google Picasa           Informação EXIF no Adobe Lightroom

Caso você utilize a geolocalização, por exemplo, pode procurar por fotos em lugares exatos, como os da sua última viagem apenas escolhendo o nome do lugar. Para quem usa dSLR, uma outra possibilidade – no Adobe Lightroom – é filtrar a exibição da biblioteca de acordo com a lente utilizada, ou com qualquer outra configuração da câmera.

Qual a vantagem disso?

O Windows Explorer exibe dados EXIF na janela Propriedades da fotoCom esses recursos, é possível identificar fotos com mais facilidade, mas por que isso é necessário?

Para o profissional, a resposta é bem óbvia: encontrar o material de cada cliente sem perder tempo vasculhando galerias de dezenas de milhares de fotos sempre que necessário economiza tempo, que pode ser usado resolvendo outros materiais e atendendo novos projetos.

Já para o amador – que não tem a mesma exigência de velocidade – os benefícios são mais discretos, porém igualmente válidos. Através de buscas bem feitas, os metadados das imagens permitem que álbuns, slideshows e até mesmo a impressão de fotografias aconteça com mais economia.

Além do fator tempo, não tão crítico, imagens selecionadas, com determinados efeitos ou características podem ser reunidas com precisão, gerando material mais agradável e consistente.

Assim, as fotos de aniversário do sobrinho ou da viagem de férias podem ser compartilhadas com família e amigos mais rapidamente e, dependendo do programa que você usa, quase automaticamente.

Alguns cuidados

Vários programas de edição não são capazes de manter os dados EXIF na imagem ao salvá-la. Assim, dependendo da sua escolha, é possível perder informação importante sobre a sua fotografia ao se utilizar um editor de menor qualidade.

Felizmente, a grande maioria dos aplicativos destinados a tal uso atualmente já não sofre desse mal. Porém, caso você tenha imagens que não apresentam esses dados, é possível incluir metainformação em uma imagem usando um editor de metadados de imagem, como o EXIFeditor.

Metadados no EXIFeditor

Mesmo que nem todos os dados sejam realmente editáveis, é possível incluir informações extras na imagem através de aplicativo do tipo. Porém, nem sempre isso é uma boa ideia, já que essas informações ocupam espaço no arquivo, aumentando um pouco o tamanho final da imagem em disco.

Cupons de desconto TecMundo: