Ray Kurzweil, um dos homens por trás do trabalho da Google. (Fonte da imagem: Reprodução/flipthemedia)

Na quarta-feira desta semana (18), você deve ter lido aqui no Tecmundo uma notícia bastante interessante, envolvendo empresas do ramo de tecnologia e a área da saúde. Nós estamos falando do anúncio da Calico, companhia que surgiu entre uma espécie de esforço conjunto entre a Google e a Apple — sim, as famosas concorrentes.

Como foi informado, um dos altos executivos da Maçã, Arthur Levinson, vai ser o CEO da nova organização. Além disso, o objetivo dela é o de encontrar cura paras as doenças que afligem os seres humanos, como o câncer, e melhorar a qualidade de vida de todos. Para isso, a empresa vai trabalhar com foco em biotecnologia e cuidados com a saúde.

O início e o significado de tudo

Assim como diferentes fontes internacionais mostraram, Larry Page, um dos cabeças da Google, é um grande admirador de Ray Kurzweil. O estudioso defende a ideia que é conhecida apenas por “Singularidade”, afirmando que a tecnologia um dia vai ser tão avançada que o corpo humano poderá ser facilmente alterado, eliminando a velhice e a morte.

Tanto que, através da Google, Page foi um dos fundadores da Singularity University, sendo que ele tirou do próprio bolso US$ 250 mil (cerca de R$ 575) em doações para a instituição. Como se já não bastasse todo esse esforço, a própria gigante de Mountain View acabou contratando Kurzweil em dezembro do ano passado.

Dessa maneira, os empenhos da companhia para trabalhar com a saúde em geral acabaram tomando um novo rumo, resultando na criação da Calico. Como os objetivos da organização são voltados para o estudo da Singularidade, podemos dizer com tranquilidade que a Google simplesmente está trabalhando para que as pessoas não morram mais.

Tem mais coisa do que isso...

Arthur Levinson, o CEO da Calico. (Fonte da imagem: Reprodução/9to5Mac)

Apesar de a admiração de Page por Kurzweil e a cura de doenças graves serem dois pontos que pesaram para a construção da Calico, a importância econômica de tudo isso também falou alto. Em primeiro lugar, os estudos da ciência da vida estão pautados na genética, o que é algo que os computadores de hoje em dia podem entender.

Além disso, a área de pesquisas em saúde e biotecnologia não conta com tantos investidores quanto você pode imaginar — a própria Google é um dos primeiros, com o projeto Ventures. Dessa maneira, por mais que seja um investimento de grandes riscos, a gigante de Mountain View pode crescer de maneira espantosa e extraordinária caso suas iniciativas deem certo.

Empolgação X Discussões

Enquanto Page se preparava para anunciar o surgimento de Calico, o executivo agradeceu Bill Maris — da Google Ventures — e Levinson, com um ar bastante positivo. Além disso, o novo CEO afirmou que está empolgado para trabalhar em projetos “meio malucos”, como a expansão do tempo de vida e a cura do câncer.

No entanto, caso a Google saia vitoriosa e consiga mesmo criar pessoas virtualmente imortais, o mundo acabaria ficando superpopuloso. Para piorar, o balanço entre a parcela produtiva de pessoas e a de aposentadas iria ser desiquilibrado — afinal de contas, não se saberia dizer até quando alguém iria viver ou se ela deveria trabalhar mais ou menos.

Dessa maneira, mesmo no começo e sem planos definidos de operação, a Calico e as pessoas por trás dela precisam responder algumas questões e vencer algumas discussões. E aí, depois de ler tudo isso, você tem alguma opinião formada sobre o assunto?

Cupons de desconto TecMundo: