(Fonte da imagem: Georgia Tech)

Pesquisadores da Georgia Tech School of Electric and Computer Engineering descobriram uma maneira de captar e utilizar a energia produzida por transmissões de rádio, televisão e celulares. A expectativa é que, em um futuro próximo, a técnica seja usada como uma maneira de prover energia para redes de sensores wireless e chips de comunicação.

Segundo o professor Manos Tentzeries, há uma grande quantidade de energia eletromagnética nos cercando, porém até o momento ninguém conseguiu aproveitá-la de maneira eficiente. Para tornar isso possível, a equipe responsável pelo projeto utiliza antenas ultrawideband que permitem a exploração de sinais em diferentes frequências, aumentando assim a capacidade de armazenar energia.

O time comandando por Tentzeries está usando impressoras comuns com uma tinta especial para criar dispositivos feitos em papel ou em polímeros móveis que combinam antenas e sensores capazes de retirar energia eletromagnética do ambiente. O resultado são sensores wireless que fabricam a própria energia e que podem ser utilizados nos mais diversos campos industriais.

Tecnologia promissora

Ampliar (Fonte da imagem: Georgia Tech)Experimentos utilizando como base as ondas transmitidas por canais de televisão foram bem sucedidas na captura de centenas de microwatts. Através do uso de sistemas multibanda, é possível utilizar várias frequências diferentes para gerar cerca de um miliwatt, suficiente para ativar aparelhos como sensores e microprocessadores.

A expectativa do time de pesquisadores da Georgia Tech é a de que, através do uso de supercapacitores operando em ciclos, a tecnologia seja capaz de produzir taxas acima dos 50 miliwatts. Nesse caso, dispositivos viriam equipados com uma espécie de bateria responsável por armazenar a energia capturada do ambiente, permitindo seu uso após atingir um patamar mínimo necessário.

Usos variados

Além de operar individualmente, a nova tecnologia pode servir como um complemento para métodos já disponíveis no mercado. Em um painel solar, por exemplo, a novidade poderia funcionar somente no período noturno, quando não há luz para ser capturada. Assim, seria possível continuar a carregar baterias mesmo durante a noite.

(Fonte da imagem: Georgia Tech)

A tecnologia também poderia ser empregada como uma espécie de backup, permitindo que dispositivos fossem desligados de forma segura em casos de queda de energia. A partir do momento em que isso acontece, um sinal wireless é acionado para enviar detalhes do problema aos responsáveis pela manutenção da rede.

Os pesquisadores responsáveis pelo projeto acreditam que, em breve, devem chegar ao mercado sensores extremamente finos e baratos. Porém, não foram capazes de informar uma data para que a novidade chegue ao consumidor final e passe a fazer parte de nosso cotidiano.

Cupons de desconto TecMundo: