Exército de Ladrões: filme de Zack Snyder consegue cativar (Crítica)

2 min de leitura
Imagem de: Exército de Ladrões: filme de Zack Snyder consegue cativar (Crítica)
Imagem: Netflix
Avatar do autor

ATENÇÃO, POSSÍVEIS SPOILERS DO FILME EXÉRCITO DE LADRÕES: INVASÃO DA EUROPA À FRENTE!

Lançado pela Netflix em 29 de outubro, o filme Exército de Ladrões: Invasão da Europa, prequel de Army of the Dead: Invasão em Las Vegas, de Zack Snyder, consegue desenvolver seus personagens de uma forma curiosa, além de trazer elementos interessantes que contribuem ainda mais para a narrativa da produção original.

Dessa forma, Exército de Ladrões (Army of Thieves, no original) dá sequência à franquia e oferecem um bom divertimento aos espectadores, principalmente aqueles que gostaram do longa de zumbis anterior de Snyder.

Saiba tudo sobre esse projeto lendo nossa crítica completa de Exército de Ladrões!

(Netflix/Reprodução)(Netflix/Reprodução)Fonte:  Netflix 

Exército de Ladrões: novo filme da Netflix é bom?

Sempre disposta a apostar alto em suas produções, a Netflix se arriscou ao máximo, junto de Zack Snyder, na criação de uma nova franquia cinematográfica. Dois filmes já foram lançados e há uma continuação direta em planejamento, bem como uma animação envolta nesse universo criativo.

Embora a resposta do público esteja sendo positiva em termos de visualizações, há alguns fatores que precisam ser levados em consideração quanto à qualidade das obras. De qualquer forma, mesmo que a crítica, em sua maioria, não seja agradada em alguns aspectos dos filmes, é preciso destacar que, pelo menos, eles são divertidos, envolventes e até mesmo empolgantes.

Em Exército de Ladrões, cujo subtítulo Invasão da Europa dispensa comentários, o público é lançado alguns anos antes dos eventos vistos em Army of the Dead. Na direção, está Matthias Schweighöfer, que também protagoniza o longa.

Em linhas gerais, sua missão está em mostrar como seu personagem surgiu e foi parar no estágio em que o conhecemos no filme original. Além disso, há destaques bastante relevantes na narrativa que fazem Gwendoline (interpretada por Nathalie Emmanuel) estar presente na maioria das cenas.

Na trama, Dieter (Schweighöfer) se articula da maneira com uma equipe de aspirantes a ladrões quando o apocalipse zumbi surge na sociedade. Dentro desse contexto, ele consegue expor suas ambições logo nos primeiros minutos da produção, deixando claro ao público o que poderá ser visto mais adiante.

Analisando os aspectos mais técnicos do filme, é notável perceber como existem claras inspirações ao estilo de Snyder, sobretudo quando há sequências repletas de ação. Mesmo que o cineasta não esteja no comando, é perceptível que sua visão foi mantida — algo bastante positivo quando se fala em unidade criativa.

A direção de arte também chama bastante a atenção, principalmente quando os cenários se contrastam profundamente aos figurinos de Stephanie Portnoy Porter. No entanto, esse mesmo ponto se perde totalmente na direção de fotografia de Bernhard Jasper, que parece ter exagerado na construção de texturas luminosas e cores mais soturnas.

Mesmo assim, esses detalhes não atrapalham a imersão que os espectadores poderão ter com a obra. Afinal, o roteiro de Shay Hatten é bastante ágil em estabelecer os conflitos e chamar a atenção da audiência em diversos momentos para o que vem a seguir. Nesse caso, Army of the Dead: Invasão em Las Vegas.

(Netflix/Reprodução)(Netflix/Reprodução)Fonte:  Netflix 

Apesar dessa intenção, pode ser que, em algumas passagens, isso pareça ter sido deixado em segundo plano. São nesses instantes que a produção se torna mais frágil com relação ao restante da franquia, desagradando aqueles que tinham grandes expectativas com relação ao projeto. Um fator que pode ter contribuído para isso é a duração, que ultrapassa a marca de 2 horas.

Em resumo, Exército de Ladrões: Invasão da Europa é um filme simples que tenta ser grandioso em sua totalidade, mas, certamente, vai agradar quem quiser apenas assistir a algo de forma despretensiosa e passar o tempo.

Fontes