De alguns anos para cá, temos visto muitas evoluções nos componentes dos computadores: processadores mais poderosos, placas de vídeo inacreditavelmente potentes e uma série de periféricos que oferecem um desempenho muito alto.

Para garantir que tudo isso funcione de forma adequada, as fontes de alimentação também evoluíram muito. Novos padrões de funcionamento e selos de qualidade foram criados, e montar uma máquina sem um equipamento competente hoje em dia é arriscar completamente o seu investimento, pois uma fonte ruim pode comprometer o computador.

Entre as fontes de qualidade existem categorias de desempenho: é preciso dimensionar o consumo da sua máquina para certificar-se de que não falte energia. Entre as mais comuns estão as de 500 W, 600 W ou até mesmo 750 W.

E acima de todas elas está a Corsair AX1500i. Essa fonte oferece 1.500 watts de potência com um desempenho acima da média e recursos para impressionar qualquer um. E isso tudo não é à toa, pois ela pertence à linha AX, que é a mais poderosa da Corsair.

Será que ela é poderosa mesmo? Nós conferimos todos os detalhes desse monstro e vamos mostrar como ela é por dentro e por fora.

Especificações

Embalagem

A caixa da AX1500i é muito grande. Na parte de cima ela exibe as principais características do produto, com destaque para o selo Titanium, a categoria mais alta a que uma fonte de alimentação pode pertencer.

A aba superior da caixa pode ser levantada, exibindo um raio-X da fonte e trazendo informações importantes sobre os seus componentes. Esses dados também podem ser encontrados na parte de trás da caixa. A Corsair não economizou na hora de contar vantagem sobre as funções da fonte.

Dentro da caixa, o produto vem armazenado em dois compartimentos separados. O primeiro é uma bolsa (já vista em outras fontes da Corsair) que carrega os cabos modulares. Já a fonte de alimentação em si fica dentro de uma bolsa de tecido e isolada em uma espécie de berço de isopor antiestático.

Veja o conteúdo da caixa:

  • Fonte de alimentação Corsair AX1500i;
  • Conjunto de cabos modulares;
  • Manual do usuário;
  • Cabo de alimentação CA;
  • Abraçadeiras de nylon para cabos;
  • Parafusos de montagem;
  • Adesivo para gabinete Corsair;
  • Bolsa de transporte;
  • Cabo de interface do Corsair Link;
  • Cabo USB Corsair Link.

Design

A primeira coisa que percebemos ao olhar para a AX1500i é o seu tamanho. Ela é enorme e pesada, o que pode ser explicado pela quantidade de componentes em seu interior. Por se tratar de uma fonte de alimentação absurdamente poderosa, também é normal que alguns componentes sejam grandes. Além disso, é preciso considerar os sistemas de proteção dela.

A AX1500i também é bem mais longa que outros produtos: ela mede 23 centímetros. Já em termos de largura não é preciso se preocupar, já que ela pode ser acoplada em praticamente qualquer gabinete. Até mesmo os parafusos de fixação seguem o padrão tradicional de encaixe.

O case dela é todo em metal pintado com tinta preta fosca, mas com alguns detalhes e um acabamento dignos de um produto de elite como esse. O cooler é posicionado na parte central e, mesmo sendo grande, parece pequeno diante do tamanho dessa fonte.

Os conectores de cabos modulares seguem o padrão já adotado pela Corsair em outras fontes de alimentação. A área é dividida em quatro partes principais: conectores de energia, comunicação, periféricos e PCI Express.

Cabos de conexão

  • 1 x cabo ATX de 24 pinos;
  • 1 x cabo EPS/ATX12V de 8 pinos (4+4);
  • 6 x cabo PCI-E de 8 pinos (6+2) / 1 conector;
  • 2 x cabo PCI-E de 8 pinos (6+2) / 2 conectores;
  • 5 x cabo SATA / 4 conectores;
  • 3 x cabo periférico / 4 conectores;
  • 2 x cabo para unidade de disquete / 1 conector;
  • 1 x cabo PMBUS;
  • 1 x cabo USB.

Tecnologia e recursos

É comum que as empresas invistam pesado em tecnologia quando se trata de produtos premium e com a AX1500i não foi diferente. A Corsair incluiu uma série de benefícios para garantir a qualidade desse produto.

A AX1500i possui um sistema de alimentação de energia completamente digital. Com isso é possível garantir mais eficiência na entrada de tensão, além de respostas dinâmicas mais precisas. Isso ajuda a fonte trabalhar de forma mais estável mesmo que a entrada venha com oscilações maiores.

Esse sistema de gerenciamento digital oferece uma vantagem em relação aos modelos tradicionais: a redução de componentes no interior da fonte. Com isso é possível ter espaço para outros itens, como os circuitos de monitoramento em tempo real. Por isso a fonte continua grande: saíram uns, entraram outros.

Acompanhar algumas funções do computador, como temperaturas, giro dos coolers e demais itens, é relativamente fácil, pois as placas-mãe oferecem recursos para que isso possa ser feito com facilidade. Contudo, gerenciar as tensões e demais parâmetros das fontes de alimentação é mais difícil já que a maioria não possibilita esse tipo de atividade.

A Corsair resolveu essa questão de uma forma inteligente: o Corsair Link. Basta conectar a fonte em uma porta USB da placa-mãe para que você tenha uma leitura precisa de todos os parâmetros da AX1500i e realize um monitoramento avançado das tensões de entrada e de saída, além de controlar perfis de funcionamento do cooler da fonte. Isso pode ser feito através do software Corsair Link, instalado a partir do site oficial do fabricante.

O software, no entanto, deixa um pouco a desejar. Não é raro você instalar o aplicativo na máquina e ele não identificar o hardware dela, e isso acontece tanto com fonte de alimentação quanto com outros produtos conectados à interface (como o Watercooler H100i). Nesse ponto a Corsair ainda precisa melhorar.

Teste automático

Essa fonte também conta com um interruptor de autoteste: através dele é possível testar todas as funções da fonte sem precisar instalar ela no computador. Basta ligar na tomada e pressionar o botão para que ela verifique se as trilhas de tensão estão funcionando adequadamente.

Em termos de fornecimento de energia, essa fonte possui uma única linha 12 V. Acontece que ela é capaz de fornecer uma corrente de até 125 amperes, ou seja, mais do que suficiente para a conexão de até quatro placas de vídeo ao mesmo tempo.

Segurança e proteção

Para garantir a confiabilidade total do produto, a Corsair também incluiu alguns componentes específicos para a proteção do sistema contra surtos e variações da rede elétrica. Veja:

  • OVP – Proteção contra sobrecargas: a proteção contra sobrecargas para as saídas CD de 12 V, 5 V e 3,3 V é necessária para a conformidade com a especificação ATX. A OVP desliga a fonte caso as saídas CD excedam um nível definido, determinado pelo fabricante da PSU. Os níveis de tensão mínima requeridos para conformidade são 13,4 V para as linhas 12 V ou mais, 5,74 V para as trilhas 5 V e 3,76 V para as linhas 3,3 V;
  • OCP – Proteção de picos de corrente: a AX1500i apresenta OCP nas trilhas 12 V, 5 V e 3,3 V. Ela garante que a saída de tensão permaneça dentro dos limites seguros de operação. A AX1500i pode ser configurada como uma solução OCP de trilha única ou várias trilhas;
  • OTP – Proteção contra superaquecimento: a função do OTP é garantir que a PSU seja desligada quando a temperatura interna alcançar um determinado ponto. Isso pode acontecer como resultado de sobrecarga de corrente interna ou falha do cooler da fonte;
  • SCP – Proteção contra curto-circuito: a função do SCP é garantir que a fonte de alimentação seja desativada em caso de curto entre as linhas 3,3, 5 e 12 volts e qualquer outro trilho ou aterramento. Isso também garante que não ocorram danos à unidade ou aos componentes do PC em caso de curto-circuito.

PFC Ativo

A sigla PFC vem de “Fator de Correção de Energia”. O que uma fonte de alimentação faz é transformar a corrente alternada proveniente da rede elétrica em corrente contínua para que os componentes do computador funcionem. O que acontece é que cada vez que um novo ciclo de corrente alternada chega até a fonte, origina-se uma potência reativa.

Ao precisar lidar com a energia reativa, a fonte acaba gastando mais energia e, consequentemente, reduzindo a sua eficiência. Assim, a função do PFC é diminuir o problema da energia reativa.

Ele pode ser passivo ou ativo, sendo este último mais confiável por ser um circuito de correção completo em vez de apenas alguns filtros de correção mais simples. Deste modo, sempre que for escolher uma fonte, procure por uma com PFC ativo, como essa.

Certificação 80 Plus Titanium

O selo 80 Plus é um programa de certificação criado para promover um uso energético mais eficiente. Ele foi lançado em 2004 e premia os produtos capazes de oferecer mais de 80% de eficiência energética em 10%, 20%, 50% e 100% de carga.

O selo é dividido entre diversas categorias. Veja a tabela:

E o que significa essa taxa de eficiência? Para explicar isso, é preciso entender como as fontes de alimentação trabalham. Quando uma fonte está ligada, nem tudo o que ela puxa da tomada é consumido. Parte desse valor é convertido em calor.

No caso de uma fonte com eficiência de 90%, apenas 10% será desperdiçado em forma de calor, ou seja: se a sua máquina precisa de 500 W para funcionar, a fonte vai puxar da tomada 550 W. Destes, cerca de 50 W serão transformados em calor.

Isso impacta diretamente na sua conta de luz, ou seja, quanto melhor é a fonte de alimentação, menos luz você vai gastar e menos calor será gerado. Como o calor afeta diretamente a vida útil dos componentes, isso também colabora com a durabilidade.

Sistema de refrigeração

O cooler utilizado nessa fonte é do modelo FDB, ou “Fluid Dynamic Bearing”, que significa, em tradução livre, “Rolamento de Fluido Dinâmico”. Esse tipo de sistema é o mais avançado que existe e proporciona uma série de vantagens em relação a outros modelos de rolamento disponíveis no mercado.

O FDB é construído de forma que o eixo do ventilador e a base do cooler nunca se toquem, já que entre elas existe uma fina camada de óleo. Esse óleo é transportado continuamente pelo eixo através de ranhuras especiais dentro dos canais que funcionam como um sistema de bombeamento, garantindo que o sistema funcione de forma perfeita sem que exista atrito entre as peças de metal.

Essa fonte foi projetada para trabalhar de forma incrivelmente eficiente. Por isso, a temperatura interna demora para aumentar. Com isso, é normal ver a ventoinha desativada mesmo com a fonte em pleno funcionamento. Quando ela liga, é difícil ouvir o seu barulho.

Componentes internos

A quantidade de componentes no interior dessa fonte justifica o seu tamanho. Isso porque ela precisa, além de fornecer os 1.500 W prometidos, garantir que essa energia seja de qualidade. Para que isso seja possível, existem os sistemas de proteção dos quais já comentamos anteriormente.

Uma fonte de alimentação é dividida em quatro partes principais: transformador, circuito retificador, filtro e regulador de tensão. Como esse modelo é potente, temos componentes grandes em seu interior.

O primeiro item que chama atenção são os dois capacitores do circuito primário (Nippon Chemi-Com), que trazem uma etiqueta de segurança sobre eles, recomendando que você desconecte a fonte da tomada antes de mexer em seu interior.

Esse aviso não está ali à toa. Isso acontece porque o switch posicionado na parte traseira da fonte não desativa ela efetivamente, ele simplesmente permite que ela possa ser ligada ou desligada. Sendo assim, enquanto a AX1500i estiver na tomada, ela possui energia fluindo em seu interior.

Outro ponto que chama atenção são os transformadores posicionados junto aos circuitos retificadores. Os capacitores sólidos fixados sobre os dois transformadores ajudam a completar o conjunto.

Essa fonte não possui uma ponte retificadora; em vez disso, existem dois MOSFETs responsáveis pela tarefa. Assim como os 4 comutadores presentes no estágio de PFC, eles também são presos nos dissipadores com a ajuda de clipes metálicos — isso faz com que a dissipação de calor dos componentes seja mais eficiente. Esse simples detalhe mostra o quanto o projeto da Corsair é caprichado.

A placa de controle digital é presa na lateral da fonte: ali encontram-se diversos componentes responsáveis pela conexão com o Corsair Link.

Testes

Por padrão, as fontes de alimentação precisam fornecer três tensões diferentes: 3,3 V, 5 V e 12 V. Como é difícil garantir que a energia seja fornecida completamente livre de oscilações, geralmente existe uma tolerância de 5% para mais ou para menos em cada uma delas.

Para verificar qual é o valor fornecido por cada uma das trilhas, utilizamos um multímetro para medir as tensões diretamente na saída da fonte em dois momentos: primeiro, com a máquina em estado ocioso e, em seguida, com a máquina em carga máxima de utilização.

Máquina de testes

  • CPU: Intel Core i7-3930K @ 3.800 MHz
  • Placa-mãe: EVGA X79 SLI
  • Memória: 16 GB RAM quad-channel G. Skill Sniper DDR3 2133
  • SSD: 256 GB Samsung 840 PRO Series
  • HD: 3 TB Seagate ST3000M001
  • Placa de vídeo: 2 x GeForce GTX 580 (SLI)

Variação de tensão

Durante os testes, essa fonte não apresentou muitas variações nas tensões entre os modos de utilização, o que reafirma o ótimo trabalho da Corsair na hora de elaborar o projeto desse equipamento.

Consumo total

O próximo teste é o de eficiência energética. Com a ajuda de um wattímetro, medimos quanto exatamente a fonte de alimentação puxa da tomada, novamente, em dois modos diferentes de uso: ocioso e com a carga total.

Vale a pena?

A Corsair conquistou um lugar de destaque entre os fabricantes de fontes de energia, criando produtos com qualidade e confiabilidade. Entre todas as linhas oferecidas pela empresa, a que mais se destaca sem dúvidas é a série AX.

O interior da AX1500i é um exemplo de que os engenheiros da empresa capricharam bastante no dimensionamento dos componentes dessa fonte. Basta ver como tudo é montado para perceber isso. Um ótimo exemplo são os clipes metálicos que seguram os MOSFETs no interior da fonte.

O único problema real dessa fonte é você encontrar uma boa desculpa para colocá-la dentro da sua máquina, afinal de contas, são mil e quinhentos watts e poucas pessoas vão precisar de tudo isso. Mesmo que você tenha duas placas de vídeo, uma fonte de até 1.000 watts deve ser suficiente para segurar o sistema.

Lá fora essa fonte pode ser encontrada por 450 dólares. O preço está um pouco acima do que o de outras fontes com a mesma potência. Contudo, a qualidade incontestável desse modelo faz com que sua aquisição seja uma ótima compra, ainda mais porque a Corsair oferece uma garantia de 7 anos para esse produto. Sendo assim, é provável que você troque a máquina inteira várias vezes antes de precisar se preocupar com uma fonte de alimentação novamente.

Cupons de desconto TecMundo: