Ideias capazes de ajudar o mundo a se tornar um lugar melhor sempre surgem aqui e ali. Um caso recente, por exemplo, foi o da máquina financiada por Bill Gates que é capaz de transformar fezes em água, mas esse não é o único modelo de projeto envolvendo o líquido vital à vida humana. 

Participante (e também finalista) de um concurso de ciência da Google, Cynthia Lam, uma australiana de 17 anos, desenvolveu um sistema que, ao menos por ora, é conhecido como H2prO e é capaz de purificar água ao mesmo tempo em que gera energia. 

De acordo com as informações divulgadas, ele funciona com dois agentes principais: dióxido de titânio e luz. Quando o primeiro entra em contato com o segundo, ele absorve a energia ultravioleta e produz radicais que ajudam no processo de oxidação dos compostos orgânicos, que se decompõem para a produção de CO2 e H2O. 

As imagens que você confere abaixo dão uma ideia de como o sistema funciona. A parte de cima é usada para a purificação da água, enquanto a inferior é útil para a geração de hidrogênio e é conectada a uma célula de combustível e à unidade base para a filtração da água.

Ideias para o projeto 

Vale ressaltar que a jovem não é a primeira a usar titânio para separar poluentes da água, uma vez que os primeiros testes foram feitos pelo japonês Akira Fujishima – e que acabaram servindo de inspiração para Cynthia. Entretanto, para tornar esse sistema efetivo foram necessários testes com diferentes combinações, como a adição de um agente de oxidação (como metanol, gliverol e EDTA). Essa mistura aumenta a produção do hidrogênio, que é usado como combustível e tornam a decomposição mais eficaz. 

Os testes mostram que o H2prO tem 90% de eficiência na remoção dos poluentes orgânicos, e pode finalizar esse processo em até duas horas. No que diz respeito à produção de energia, o sistema ainda é instável, mesmo com a produção satisfatória de hidrogênio fotocatalítico.

Cupons de desconto TecMundo: