Blue Origin processa a NASA por contrato com a SpaceX

1 min de leitura
Imagem de: Blue Origin processa a NASA por contrato com a SpaceX
Imagem: Blue Origin/Divulgação
Avatar do autor

A Blue Origin continua a protestar contra a NASA, após a agência espacial escolher a SpaceX para construir a sonda lunar do programa Artemis. Nesta segunda-feira (16), a empresa de Jeff Bezos entrou com uma queixa no Tribunal de Reclamações Federais dos Estados Unidos, tentando reverter a decisão.

Na ação, é solicitado que o processo de licitação seja revisto. “Acreditamos firmemente que as questões identificadas nesta aquisição e seus resultados devem ser resolvidos para restaurar a justiça, criar concorrência e garantir um retorno seguro à Lua para a América”, disse a organização.

Esta reclamação surge depois que a companhia aeroespacial do fundador da Amazon teve um protesto ao Government Accountability Office (GAO) negado, em julho. Na ocasião, ela argumentou que a agência espacial deveria cancelar ou alterar os termos do programa ao notar a falta de dinheiro para financiar dois contratos.

O módulo Blue Moon foi criado em parceria com o Northrop Grumman e a Lockheed Martin.O módulo Blue Moon foi criado em parceria com o Northrop Grumman e a Lockheed Martin.Fonte:  Blue Origin/Divulgação 

Houve ainda a alegação de que a empresa de Elon Musk foi beneficiada com uma negociação separada, oportunidade não dada às demais concorrentes. O GAO rejeitou as reclamações, considerando legal a escolha da NASA, mas a SpaceX ficou impedida de iniciar o projeto até o julgamento, resultando em um atraso de 95 dias.

Disputa bilionária

O contrato para a construção do módulo lunar do programa que levará os astronautas de volta à Lua em 2024 era disputado pela Blue Origin, a SpaceX e a Dynetics. Em abril, a proposta de US$ 2,9 bilhões de Musk foi a escolhida, após a agência optar por apenas uma parceira no projeto, em vez das duas anunciadas anteriormente.

Além de reclamar das mudanças no processo de escolha, motivadas por questões financeiras de acordo com a NASA, a empresa de Bezos considera que o projeto da concorrente possui falhas. Em virtude disso, ela defende a participação de uma segunda parceira no projeto.