Missão Lunar: Blue Origin aponta “alto risco” em nave da SpaceX

1 min de leitura
Imagem de: Missão Lunar: Blue Origin aponta “alto risco” em nave da SpaceX
Imagem: Blue Origin/Reprodução
Avatar do autor

A empresa espacial de Jeff Bezos continua insatisfeita com a decisão da NASA de contratar somente a SpaceX de Elon Musk para a sua missão lunar tripulada. Em um infográfico publicado em seu site, a Blue Origin afirma que a abordagem para atingir a superfície da Lua da Starship, nave da concorrente,  é “imensamente complexa e de alto risco”.

O infográfico afirma que o conceito do módulo lunar tripulado de Bezos, o Blue Moon, é mais parecido com as naves da NASA que realizaram pousos na Lua anteriormente, ao contrário da abordagem inédita da Starship .“Há um número sem precedentes de tecnologias, desenvolvimentos e operações que nunca foram feitas antes para a nave estelar pousar na Lua”, escreveu a Blue Origin.

A companhia de Bezos ressaltou que o plano da SpaceX requer mais de 10 lançamentos de nave estelar para pousar apenas uma vez na Lua e que o módulo ainda precisa ser reabastecido em órbita, “um processo que também nunca foi feito antes”.

A Blue Origin chegou comparar até a altura das escotilhas de saída da naves. A saída da Starship está a 39 metros do solo e, por isso, utilizaria um elevador para trazer os astronautas à superfície. Por outro lado, a sonda Blue Moon está a 10 metros do solo, o que torna possível o uso de uma escada para sair do módulo lunar.

Corrida espacial

Infográfico critica abordagem da missão lunar da SpaceX. (Fonte: Blue Origin/Reprodução)Infográfico critica abordagem da missão lunar da SpaceX. (Fonte: Blue Origin/Reprodução)Fonte:  Blue Origin/Reprodução 

As críticas fazem parte de uma corrida espacial que vem sendo travado entre John Bezos, o homem mais rico do mundo, e Elon Musk. Enquanto a SpaceX conseguiu o único contrato realizado com a NASA para construção de um Sistema de Pouso Humano na Lua, a Blue Origin foi preterida na seleção.

Desde então, a empresa de Bezos vem realizando diversas tentativas para reverter a situação. A companhia protocolou um protesto junto ao governo americano contra a decisão da NASA, mas o pedido foi rejeitado.

A Blue Origin também chegou a anunciar que abriria mão de até US$ 2 bilhões em pagamentos e arcaria com os custos de uma missão de demonstração para que a agência espacial americana fizesse um segundo contrato para a missão lunar. Mas, até o momento, nada surtiu efeito.