A energia estática pode ser divertida, mas também prejudicial a eletrônicos

A cena é clássica e já foi usada até em filmes de Hollywood: a pessoa atravessa a sala, caminhando sobre o carpete do escritório ou da casa e, ao tentar abrir a porta, leva um choque no trinco. Muitas vezes, é possível até mesmo ouvir um estalo ou ver uma pequena faísca saindo do contato entre a mão do sujeito e a maçaneta.

No inverno, algo semelhante costuma acontecer. Ao retirar uma blusa de lã, é comum ouvirmos uma série de barulhinhos, como se pequenas descargas elétricas estivessem acontecendo naquele momento. E acredite: elas estão!

Ambas as situações descritas acima são causadas pela energia estática, o acúmulo de cargas elétricas na superfície de objetos e até dos nossos corpos.

Energia estática na prática

A Ciência, por si só, já é divertida. Mas fica ainda melhor quando podemos colocar a teoria em prática e constatar a existência de fenômenos físicos. Por isso, antes de cairmos no papo sobre o átomo e suas partículas, preparamos duas experiências que ajudam a presenciar os efeitos da energia estática. Vamos a elas!

1. Distorcendo a água

Com a energia estática é possível desviar um pequeno fluxo de água de seu curso natural. Para isso, você precisará de:

  • 1 balão de festa de aniversário;
  • 1 torneira aberta.

Antes de tudo, encha o balão de ar. Depois, esfregue o balão rapidamente sobre sua cabeça. Se, por acaso, você tiver passado no vestibular e estiver careca, friccione o balão contra um tapete ou uma blusa de lã. O efeito será o mesmo e a superfície do balão ficará estaticamente carregada.

Depois, abra levemente a torneira, para que escorra um pequeno filete de água. Ao aproximar o balão da água, é possível vê-la se inclinando, sendo atraída pela bexiga. Caso a água encoste no balão, as cargas serão equilibradas novamente e o efeito deixará de ocorrer.

A propósito: se você precisar usar o mesmo balão para decorar uma sala e estiver sem fita adesiva, pode friccioná-lo novamente contra o seu cabelo e, depois, encostá-lo na parede do cômodo. A energia estática se encarregará de manter o balão grudado à parede, como se estivesse colado.

2. Balões que se repelem