A imagem da discórdia (Fonte da imagem: Reprodução/How To Geek)

Nos últimos dias, um vídeo publicado no YouTube vem movimentando as redes sociais, que geraram mais de 179 mil visualizações a ele. Postado pelo pastor e rapper gospel Juninho Lutero, o vídeo acusava o Android de ser “consagrado ao demônio”, mostrando uma imagem secreta com a mascote do sistema operacional em meio a figuras macabras. Será que isso confere?

Durante os quase sete minutos de vídeo (clique aqui para assistir), Juninho Lutero mostra que, ao apertar diversas vezes a linha com a versão do Android, nas configurações do aparelho, uma imagem “tenebrosa” deve aparecer. A figura em questão é essa no começo da notícia.

A ideia de que o Android é um sistema operacional que atuaria como ferramenta religiosa pela Google, “escravizando pessoas e evitando que elas tenham comunhão com a família”, chegou até ao criador do desenho, Jack Larson, que resolveu falar sobre o assunto.

Larson explica a origem da “figura demoníaca”

Em uma postagem no seu blog, Jack Larson explica que encontrou o vídeo por um acaso e resolveu explicar a sua origem. Desde a versão 2.3, chamada Gingerbread, o Android conta com uma imagem que pode ser acessada conforme explicado no vídeo. No caso da versão em questão, a obra "Zombie Art" foi colocada pela preferência do artista por zumbis e por ter um simbolismo especial entre a fusão do moderno com o antigo. Para ler a explicação completa de Larson, clique aqui (em inglês).

Provando que cada versão, após a 2.3, conta com um “easter egg” diferente, dê uma olhada nas imagens encontradas no sistema operacional:

Android 3.x (Honeycomb ou “Favo de mel”)

(Fonte da imagem: Reprodução/How To Geek)

Android 4.0 (Ice Cream Sandwich ou “Sanduíche de sorvete”)

(Fonte da imagem: Reprodução/How To Geek)

Android 4.1 e 4.2 (Jelly Bean ou “Bala de goma”)

(Fonte da imagem: Reprodução/How To Geek)

Não parece algo tão demoníaco, não é mesmo?

Cupons de desconto TecMundo: