O ministro das Finanças do Reino Unido, George Osborne, e o bilionário e filantropo Bill Gates anunciaram nesta segunda-feira (25) um plano para a arrecadação de £ 3 bilhões (cerca de R$ 17,5 bilhões, em conversão direta). O dinheiro será destinado à erradicação da malária, o “assassino mais letal do mundo”.

O montante será recolhido durante cinco anos, período em que pesquisas e ações de combate à doença deverão ser realizadas. O governo do Reino Unido vai fornecer £ 500 milhões anuais; a Bill & Melinda Gates Foundation ficou responsável por fazer a primeira das suas futuras doações de US$ 200 milhões ainda neste ano.

“Quando se trata de tragédia humana, nenhuma criatura provoca tanta devastação quanto mosquito”, disseram os executivos ao The Times of London (via The Verge). “Ambos acreditamos que um mundo sem malária deve ser uma das prioridades mundiais na área da saúde”.

A decisão foi tomada dois meses após o anúncio da parceria entre o governo britânico e Bill Gates para o combate à malária. Segundo um relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS), 214 milhões de casos da doença resultaram na morte de 438 mil pessoas em 2015 apesar de haver tratamento e cura para a malária. A maioria das vítimas é constituída por crianças de até 5 anos de idade.

Avanços no combate à malária têm sido registrados nos últimos 15 anos mesmo em função da crescente resistência à medicação e inseticidas quem vem sendo apresentada pelos insetos que disseminam a doença. “Caso não sejam lançados novos inseticidas até 2020, o número de mortos pode disparar, e a situação pode ficar crítica”, alertam Gates e Osborne, que ainda assim se mostram otimistas.

“Estamos otimistas de que poderemos erradicar a malária e outras doenças tropicais mortais ainda enquanto vivemos, bem como outras ameaças emergentes, para que possamos fazer do mundo um lugar mais seguro para todos”.

...

Quais medidas filantrópicas deveriam ser adotadas pelas gigantes da tecnologia? Comente no Fórum do TecMundo