A energia solar está se transformando em um negócio promissor, e conforme aumenta a pressão pelo desenvolvimento de novas formas de geração de energia, aumenta também o número de projetos de grande escala que visa criar fontes energéticas renováveis e limpas.

O último empreendimento anunciado pela empresa japonesa Kyocera é um ótimo exemplo de que é possível encontrar, até mesmo no Japão, grandes áreas abertas em que seja possível colocar milhares de painéis solares.

A usina fotovoltaica flutuante será construída sob a reserva Yamakura Dam, ao sudoeste de Tóquio, e deverá ocupar uma área de 180 mil metros quadrados. A capacidade de geração deve atingir os 13,7 megawatts, o que deve ser mais do que suficiente para abastecer os 5 mil residentes da área. Segundo estimativas, a planta deve evitar que 7.411 toneladas de CO2 sejam liberados na atmosfera a cada ano.

Projeto ecológico 

A Kyocera trabalhará em conjunto com a experiente Ciel et Terre para concluir a obra até meados de 2018. Os experts envolvidos no ambicioso projeto trabalham em painéis solares flutuantes desde 2006 e utilizarão materiais de primeira totalmente livres de metais. A plataforma como um todo será feita de polietileno reciclável de alta densidade, material que não enferruja e não se deteriora quando exposto aos raios ultravioletas.

A respeito dos impactos ambientais, a Ciel et Terre afirma que a nova planta não trará nenhum tipo de prejuízo à água do reservatório, e que somente o nível de evaporação do lago será levemente afetado.