O serviço de assinatura para quem quer evitar as propagandas do YouTube pode estar muito perto de ser lançado. Depois de surgir em alguns rumores no começo do ano, um novo vazamento vindo do site Re/Code indica que a novidade pode chegar no fim de outubro.

As informações surgiram com um email em massa enviado pela Google aos geradores de conteúdo do YouTube no dia 24 de setembro. Nela, a equipe do serviço explica que a criação dessa opção vem para adicionar mais opções ao público – este que, vale notar, já viria pedindo algo assim há tempos.

Embora não determine uma data específica, as suspeitas quanto à data de lançamento se dão pelo prazo dado pela empresa para que o youtuber concorde com os novos termos. Eles têm apenas até 22 de outubro para tal; do contrário, “seus vídeos não vão mais estar disponíveis para apresentação pública ou monetização nos Estados Unidos”, explica a mensagem.

YouTube como sempre, mas sem propagandas

A mensagem também traz algo bastante tranquilizador para quem temia sair perdendo sem a assinatura: não haverá conteúdo Premium na versão com propagandas do YouTube. Ou seja, tanto em um quanto em outro, o conteúdo disponibilizado será o mesmo; a única diferença, no fim das contas, será a ausência de banners e comerciais no site, se você pagar os dez dólares mensais do serviço.

Confira logo abaixo a mensagem trazida pelo YouTube, na íntegra:

“Por anos, fãs do YouTube tem dito para nós que eles querem mais – mais escolhas ao ver seu conteúdo favorito, mais formas de dar suporte aos seus criadores favoritos e, acima de tudo, a opção de assistir seus vídeos favoritos sem interrupções.

Para dar aos fãs mais escolhas nós vamos lançar uma nova versão livre de propagandas do YouTube, disponível para fãs por uma taxa mensal. Este serviço vai criar uma nova fonte de receita ao longo do tempo que suplementa nossa receita em propagandas. É por isso que uma maioria esmagadora de nossos parceiros – representando mais de 95% do tempo de visualização do YouTube – nos pediram e assinaram este serviço.

Como você ficou sabendo em nossos emails anteriores, nós queremos garantir que fãs que escolhem pagar por uma experiência livre de propagandas pode ver todos os mesmos vídeos que estão disponíveis na experiência com suporte por propagandas. É por isso que estamos pedindo a você para atualizar seu acordo para refletir os termos atualizados para o serviço livre de propagandas.

Para aceitar, simplesmente logue no YouTube.com como “pakafka” por um desktop ou laptop e siga os prompts até 22 de Outubro.

Se você não tiver assinado até essa data, seus vídeos não vão mais estar disponíveis para apresentação pública ou monetização nos Estados Unidos. Esse resultado seria uma perda para o YouTube, uma perda para a presença sedenta que você construiu na plataforma e, acima de tudo, uma perda para seus fãs. Nós permanecemos comprometidos a trabalhar com você, como nós sempre tivemos. E, é claro, a qualquer momento, você pode aceitar os termos atualizados que vão fazer seus vídeos públicos e monetizáveis novamente. Perguntas e Respostas comuns podem ser encontradas aqui.

Nós acreditamos que esses novos termos vão fortalecer grandemente nossa parceria para o futuro. Nós passamos por um processo similar três anos atrás quando nós começamos a distribuir e monetizar seu conteúdo em serviços móveis. Hoje, o mobile representa mais da metade de nosso tempo de visualização e a receita móvel subiu duas vezes apenas no último ano. Assim como no mobile, nós estamos confiantes que esta atualização mais recente vai animar seus fãs e gerar uma antes inexplorada fonte de renda adicional para você.

Se você tem questões ou encontrar dificuldades técnicas, nós estamos aqui para ajudar. Entre em contato conosco para suporte aqui.

O Time YouTube”

Chegando em algum momento depois de 22 de outubro

Infelizmente, tudo isso não quer dizer necessariamente que o serviço está chegando. Afinal, mesmo se a versão sem assinaturas do YouTube realmente existir, a Google pode estar apenas se precavendo antecipadamente com relação a ele através do acordo, lançando-o só um ou dois anos depois.

É preciso considerar, porém, todos os anúncios recentes da Google nessa área. É o caso, por exemplo, do Music Key (ou YouTube Red, se preferir) e do próprio YouTube Gaming, que fortalecem as chances de que a empresa tenha resolvido investir mais na proposta.

A famosa logo do YouTube, em seu campus de San Bruno

As probabilidades só aumentam se lembrarmos também que o YouTube estaria pensando em trazer, em breve, uma versão paga de seu novo serviço de músicas. Analisando o espaço curto em que ocorreram todos esses lançamentos, não seria nenhuma surpresa se a Google realmente estivesse trabalhando para trazer todos os seus pacotes de assinatura premium ainda em 2015.

Se tudo isso for verdade, inclusive, pode ser que a empresa tenha nos dado uma dica de que uma opção de apoio aos seus youtubers favoritos diretamente pelo site surgirá em breve, visto que essa é uma das adições mais pedidas pelo público.

Mantendo o mistério

Entre tantas dúvidas, o YouTube simplesmente se recusa a comentar algo que possa confirmar (ou negar) o vazamento. “Nós estamos progredindo de acordo com o plano para prover aos fãs mais opções sobre como eles aproveitam o conteúdo no YouTube. Nós temos apoio de uma maioria esmagadora de nossos parceiros, com mais de 95% do tempo de visualização do YouTube coberto por acordos, e mais no caminho prestes a fechar”, disse um representante do site. Parece familiar com a mensagem de antes, não?

"Para dar aos fãs mais escolhas nós vamos lançar uma nova versão livre de propagandas do YouTube, disponível para fãs por uma taxa mensal. Este serviço vai criar uma nova fonte de receita ao longo do tempo que suplementa nossa receita em propagandas."

Seja como for, ao menos, se tivermos sorte, não teremos que esperar muito para saber se o novo serviço do YouTube realmente existe. Até porque, com um evento da empresa pronto para acontecer amanhã (29), podemos ter um primeiro vislumbre do YouTube sem propagandas muito em breve.

Você assinaria a versão paga, mas sem propagandas, do YouTube? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: