De todas as companhias de carros investindo na tecnologia de veículos autônomos, a Volvo é certamente uma das mais ambiciosas: ela não apenas desejava trazer os primeiros veículos com esse sistema ainda em 2014, como também já chegou a colocar seus primeiros carros autônomos nas ruas. De fato, ela está tão confiante em sua tecnologia que afirmou que vai se responsabilizar completamente por qualquer acidente causado por falha de seu sistema.

O anúncio, segundo a companhia, veio durante um seminário organizado pela própria Volvo na Embaixada da Suécia, em Washington. Nela, Håkan Samuelsson, presidente e chefe executivo da Volvo, comentou sobre suas preocupações e obstáculos encontrados na missão de trazer carros dirigidos automaticamente para o mercado.

Além de declarar que a empresa tomará responsabilidade no caso de acidentes físicos, ela também estendeu a declaração para o caso de seu carro ser haqueado.

Se nós vamos garantir uma transição suave para a mobilidade autônoma, então juntos nós devemos criar a estrutura necessária para suportar isso.

Sobre esse último, no entanto, ela avisa que trata esse tipo de ato como uma infração penal: “Nós estamos evoluindo softwares defensivos constantemente para contra-atacar os riscos associados com haquear um carro. Nós não culpamos a Apple ou a Microsoft por vírus de computador ou hackers”, explicou Samuelsson.

Poderia estar ainda melhor

Vendo tudo isso, não há como negar que a empresa está tentando seguir o mais rápido possível para o futuro dos carros autônomos. Mas, de fato, a empresa afirma que tudo poderia estar avançando ainda mais rápido, não fosse a dificuldade que os diferentes estados dos EUA trazem para a evolução da tecnologia de carros autônomos.

Segundo o CEO, a falta de uma regulamentação federal para veículos dirigidos automaticamente está desacelerando consideravelmente o desenvolvimento dessas tecnologias. Isso acontece porque é extremamente difícil para uma fabricante de carros testar, desenvolver e até mesmo vender esses veículos.

Håkan Samuelsson, CEO da Volvo Cars

“A falta de um grupo de regras quer dizer que as fabricantes de carros não podem conduzir testes críveis para desenvolver carros que atinjam todas as diferentes regras de todos os 50 estados dos EUA”, declarou Samuelsson.

Ele ainda continua, insistindo na criação de leis mais adequadas para acelerar todo o desenvolvimento dessas tecnologias: “Se nós vamos garantir uma transição suave para a mobilidade autônoma, então juntos nós devemos criar a estrutura necessária para suportar isso.”

Agora, se mesmo com tantos contratempos a empresa já está avançando tão rapidamente no mercado, não será surpresa se ela realmente conseguir evitar qualquer morte em seus carros até 2020.

Você acha que no futuro os carros autônomos serão populares? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: