(Fonte da imagem: Reprodução/Emsps)

Se você parar para pensar em um escritório ou em qualquer outro lugar de trabalho, é muito provável que um computador faça parte da cena criada na sua cabeça. Mas, como você e quase todo mundo já sabe, a realidade nem sempre foi essa — o que é muito lógico, afinal de contas, os computadores são uma invenção relativamente nova.

Um dos fatores que dificultava a utilização de máquinas pessoais na rotina das pessoas há cerca de 30 anos era o preço e a utilidade do produto. Em outras palavras, isso quer dizer que os computadores eram muito caros e não facilitavam tanto a vida das pessoas dentro de empresas ou em outros lugares.

Para mudar esse cenário, um software foi fundamental: o Lotus 1-2-3. Com as oportunidades de utilização proporcionadas por ele, os computadores começaram a chegar a todos os escritórios da época e, depois disso, passaram a ser algo normal nas casas desses inúmeros trabalhadores.

O começo de uma era

Até o começo da década de 80, somente as empresas com grande fluxo de dinheiro usavam computadores. O motivo, além do preço, é o fato de que os softwares feitos para as máquinas da época eram difíceis de usar, o que não justificava o investimento.

Um dos primeiros programas que começou a mudar esta situação foi o VisiCalc, que impulsionou as vendas do Apple II. O aplicativo foi a primeira planilha eletrônica — também conhecida como folha de cálculo — a chegar aos computadores. No entanto, ela ainda não oferecia muitos recursos aos profissionais e a sua utilização era um pouco truncada.

Por conta desses problemas, o programa não fez tanto sucesso assim. No entanto, um “salvador” foi lançado em 1983 — de modo que o seu 30° aniversário foi comemorado neste mês de janeiro. Estamos falando do software chamado Lotus 1-2-3, que caiu na graça de grande parte dos empresários e consagrou o IBM PC.

Útil e fácil de usar

Propaganda do Lotus.

O Lotus 1-2-3 também funcionava como uma planilha eletrônica, mas de maneira mais dinâmica do que o seu antecessor, o VisiCalc. Além de não ser utilizado através do DOS, ele contava com alguns elementos gráficos para facilitar o seu uso e deixar as escolhas do funcionário mais simples de serem feitas.

Para melhorar, ele tinha à sua disposição diversos recursos de trabalho, de maneira que era possível programar funções e agilizar o trabalho a ser feito. Outra qualidade é o fato de que ele podia usar variáveis e colunas diferentes, o que “turbinou” ainda mais a sua utilidade dentro de escritórios.

Além de tudo isso, o Lotus 1-2-3 era mais leve e mais rápido do que os seus concorrentes. Com isso, ele desbancou o VisiCalc e passou a ser um dos softwares mais utilizados dentro de empresas até o começo da década de 90.

E no que deu tudo isso?

Excel, o substituto do Lotus 1-2-3. (Fonte da imagem: )

Pode ser que você não tenha achado toda essa evolução algo importante, mas acontece que o Lotus 1-2-3 foi útil o suficiente para popularizar de vez o computador no ambiente de trabalho de inúmeras pessoas — e para que isso também acontecesse na casa delas, demorou pouco tempo.

Baseado no funcionamento deste software, você pode encontrar ferramentas que ainda são muito atuais, como o Excel — responsável pelo “esquecimento” do Lotus — e o Google Docs. Por conta disso, praticamente todos os que têm um computador à sua disposição têm algo a agradecer a essa antiga planilha eletrônica.

Cupons de desconto TecMundo: