Após recente votação em uma reunião de acionistas da Sony, foi decidido que seu CEO e presidente Kazuo Hirai e outros líderes executivos da empresa vão manter suas posições dentro da companhia. O chefe ressaltou a necessidade da fabricante manter sua identidade própria e prometeu arrumar os problemas financeiros da casa.

“A melhor maneira de construir o nosso futuro é a Sony continuar sendo a Sony e realizar nosso desejo de nos tornarmos uma empresa que inspira e satisfaz a curiosidade de vocês”, afirmou Hirai. Durante a reunião, ele também se comprometeu a arrumar a “estrutura de perda de dinheiro” na qual a companhia se baseia atualmente.

Após o presidente e os demais executivos serem interrogados pelos acionistas a respeito das contínuas perdas da Sony, o CEO aproveitou para se desculpar por sua falta de proatividade no estabelecimento de políticas que mudem esse quadro. Embora o negócio de filmes da empresa tenha alcançado bons resultados nos últimos anos, o setor de eletrônicos vem arrastando os resultados gerais da companhia para baixo.

Batalhas duras

Em dezembro, o New York Post reportou que a Sony estava procurando por “ao menos um” novo diretor para seu conselho, com a intenção de cortar custos e rejuvenescer seus negócios. Segundo as fontes da publicação, a empresa abordou vários executivos baseados nos Estados Unidos para ocupar a posição. Atualmente, o conselho da companhia possui 13 membros.

A Sony encerrou seu último ano fiscal com uma perda de US$ 1,26 bilhão. O lançamento do PlayStation 4 em novembro ajudou a aumentar a vendas e a receita operacional da empresa em 14,3%. No entanto, embora achegada do console ao mercado tenha feito as vendas do setor de jogos crescerem 38,5%, ele ainda registrou perdas operacionais de US$ 78 milhões.

A outrora promissora divisão de TVs da fabricante vem perdendo dinheiro pelos últimos 10 anos e o setor de dispositivos móveis também tem encontrado dificuldades para encarar rivais como AppleSamsung e LG, entre outros. Ainda assim, Hirai negou planos de separar suas divisões de entretenimento das demais. Resta agora ver as mudanças planejadas pelos executivos para os próximos anos da empresa.