E que tal se diante de uma porta futurista de acesso restrito, ao invés de confirmar sua identidade por meio da sua impressão digital ou pelo escaneamento do seu olho, você fosse submetido a um reconhecimento de nariz?

Apesar de não parecer convencional, cientistas britânicos apostam na ideia para ajudar a conter a imigração ilegal, a falsificação de documentos e a reconhecer criminosos com maior facilidade. O órgão responsável pelo olfato pode se tornar sua identidade no futuro.

Por que o nariz?

A Biometria é o estudo estatístico das características físicas ou comportamentais dos seres vivos. Atualmente, o termo foi incorporado ao ato de identificar um ser humano pelas partes do seu corpo.

Dr. Adrian Evans  coordena o estudo.Entretanto, a escolha de uma parte eficaz para as diferentes situações é mais complicada do que parece. O método mais utilizado atualmente é a impressão digital, mas exige que o indivíduo tenha contato direto com o objeto a superfície.

O reconhecimento da íris apresenta grande precisão, mas é muito difícil capturar imagens de qualidade por um sistema de câmeras de segurança. Estudos recentes apontam para o reconhecimento da face como um todo, porém as mudanças na expressão podem prejudicar a identificação. Já as orelhas não se alteram como o rosto, mas escondê-las é bastante fácil.

Esses motivos fazem com que o nariz se torne um grande candidato à identidade biométrica do futuro. Não se pode negar que o órgão fica estampado bem no meio da face de qualquer indivíduo, facilitando muito seu reconhecimento por imagens. Estudos recentes mostram que o nariz tem um grande potencial de identificação biométrica e praticamente não sofre alterações com as diferentes expressões faciais.

Os estudos

Cientistas da Universidade de Bath, na Inglaterra, vêm estudando as aplicações do nariz na biometria. Por meio de um conjunto de quatro fotos com diferentes ângulos de iluminação, é possível identificar as medidas de um nariz com precisão. Ao invés de utilizar o órgão como um todo, o reconhecimento se apoia em três: distância entre os olhos, comprimento total do nariz e tamanho da sua ponta.

Várias fotos com iluminação diferenciada

Também foi desenvolvido um software para reconhecimento facial, denominado PhotoFace. O programa se encarrega de reconhecer as dimensões no rosto identificado e fazer a comparação. Como se baseia em medidas exatas, ele analisa as características do órgão mais facilmente que os sistemas de análise de digitais e outras partes do corpo.

O software reconhece o órgão

Dentro de um banco de dados de 36 voluntários, os estudos para a identificação biométrica do nariz obtiveram resultados de precisão significativa. Adrian Evans, da Universidade de Bath, diz pretender estudar o comportamento de sistema para um banco de dados maior e entre familiares com características faciais semelhantes.

É possível alterar?

Nenhuma analise biométrica é 100% à prova de alterações. O suspeito poderá se submeter a uma cirurgia plástica para modificar seu órgão de identificação. No entanto, uma operação capaz de alterar as medidas básicas do nariz é muito mais intensa que a média dos procedimentos estéticos.

Medidas a serem registradas

Baseado em leituras feitas por imagem, qualquer objeto que cubra o nariz do indivíduo é capaz de prejudicar o reconhecimento. Convenhamos que qualquer um que entre em um banco com lenço por cima de metade do rosto já é um elemento suspeito por natureza. Mas o que dizer de um simples nariz de palhaço? Haveriam de ser proibidos se o sistema de biometria nasal for adotado como padrão de segurança?

Cupons de desconto TecMundo: