Apple admite preocupações com ferramenta contra abuso infantil

1 min de leitura
Imagem de: Apple admite preocupações com ferramenta contra abuso infantil
Imagem: Apple/Divulgação
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Em um memorando interno, o vice-presidente de software da Apple Sebastien Marineau-Mes admitiu que o escaneamento de fotos do iCloud, anunciado na quinta-feira (5), pode deixar alguns usuários “preocupados com as implicações”. O documento foi obtido pelo 9to5Mac e divulgado na sexta-feira (6).

Apesar da apreensão em relação à privacidade, o executivo defendeu o sistema. De acordo com Sebastien, a novidade faz parte de uma “missão importante” para manter as crianças seguras, sem deixar de lado os cuidados com os arquivos analisados.

“O que anunciamos hoje é o produto dessa colaboração incrível, que oferece ferramentas para proteger as crianças, mas também mantém o profundo compromisso da Apple com a privacidade dos usuários”, escreveu Marineau-Mes. O executivo comentou ainda que a Maçã detalhará a ferramenta para que todos a conheçam.

O novo sistema buscará imagens relacionadas a abuso infantil na galeria do iPhone.O novo sistema buscará imagens relacionadas a abuso infantil na galeria do iPhone.Fonte:  Unsplash 

Junto ao documento, foi anexada uma carta da diretora-executiva do Centro Nacional para Crianças Desaparecidas e Exploradas dos EUA (NCMEC), Marita Rodriguez. Na mensagem, a entidade parceira da Apple no novo recurso agradece à gigante de Cupertino pela ajuda às vítimas de abuso infantil.

Oposição à ferramenta

Embora a big tech e a NCMEC tenham defendido a iniciativa, a repercussão da novidade não foi tão positiva. Especialistas em segurança e privacidade, pesquisadores e professores escreveram uma carta aberta à Apple criticando a funcionalidade que será lançada até o final do ano.

O documento, assinado por nomes como o ex-funcionário da NSA Edward Snowden e o criptógrafo Nadim Kobeissi, entre outros, faz duras críticas à Maçã. De acordo com os signatários, a tecnologia “ameaça minar as proteções de privacidade fundamentais para todos os usuários de produtos da Apple”.

A carta (leia aqui) é finalizada com um pedido para que a implantação da ferramenta de monitoramento seja interrompida imediatamente. Eles também solicitam que a empresa reafirme seu compromisso com a segurança dos dados dos usuários.