Na China, poucas pessoas conseguem acessar redes sociais do Ocidente, como o Facebook, o Google e o Twitter. Porém, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, conhecido pelas "maravilhosas pérolas" que solta na internet, não teve qualquer problema ao twittar enquanto visitava Pequim.

Por lá, cidadãos chineses são barrados por um firewall sofisticado que bloqueia o acesso em diversos sites na internet, desde redes sociais até sites pornográficos. A tecnologia é tão potente que foi batizada de "Grande Firewall".

WiFi conectado em rede de satélite, uma VPN (rede virtual privada) ou um serviço de roaming de dados?

Os bloqueios aos domínios são realizados da seguinte maneira: filtro DNS, filtro URL, bloqueio de IP, filtragem de pacote e reset de conexões.

“Em nome da @FLOTUS (primeira-dama dos Estados Unidos, na sigla em inglês) Melania e eu, OBRIGADO por uma tarde e noite inesquecíveis na Cidade Proibida de Pequim, presidente Xi e senhora Peng Liyuan. Estamos ansiosos para reencontrá-los amanhã de manhã!”, twittou Trump.

Agora, como Donald Trump, que não possui um conhecimento tecnológico tão grande, como descobrimos na campanha eleitoral 2016, conseguiu acessar o Twitter ainda é uma dúvida. O que podemos especular é: um WiFi conectado em rede de satélite, uma VPN (rede virtual privada) ou um serviço de roaming de dados.

Antes da chegada na China, a Casa Branca comentou: "O presidente twittará o que quiser. Esta é sua forma de se comunicar diretamente com o povo americano. Por que não?".

Cupons de desconto TecMundo: