É comum que coletivas de imprensa sejam convocadas a emissoras de TV quando comunicados de relevância nacional e internacional estão prestes a ser feitos – Barack Obama, por exemplo, se emocionou em frente às câmeras ao anunciar, no último dia 5, um pacote de medidas rígidas sobre o controle de armas no país.

Mas Enrique Peña Nieto, presidente do México, dispensou cerimônias tradicionais e, na sexta-feira (8), usou o Twitter para anunciar a prisão do traficante Joaquín “El Chapo” Guzmán Loera, um dos criminosos mais poderosos e procurados do mundo.

“Missão cumprida: nós o pegamos. Quero informar aos mexicanos que Joaquín Guzmán Loera foi detido”, publicou o líder do Executivo. Ainda nas redes sociais, Peña Nieto agradeceu ao Gabinete de Segurança do governo pela “importante conquista”.

Em julho de 2015, o presidente também usou meios online para anunciar a fuga do traficante, que escapou de uma prisão de segurança máxima por um túnel. O uso de canais que podem ser acessados sem intervenção dos veículos de mídia tradicionais é a prova de que o setor de comunicação passa por ressignificações.

Privacidade X Segurança

O rastreamento de publicações feitas através de redes como Twitter, Instagram e Facebook resulta constantemente na captura de pessoas suspeitas de cometer os mais diversos tipos de crime – em agosto, uma postagem feita supostamente pelo filho do ex-líder do Cartel de Sinaloa forneceu pistas acerca da localização de Peña Nieto.

Para que os governos possam acessar dados do internauta, porém, solicitações formais têm de ser feitas às proprietárias dos serviços – veja aqui quantos posts foram removidos do Facebook devido a solicitações das autoridades brasileiras em 2015.

Discussões sobre o teor legal e moral de ações que possibilitam acesso a informações privadas ainda acontecem – 78% dos brasileiros, por exemplo, são contra o fornecimento de dados pela rede social de Zuckerberg. Estudos sobre o significado da superexposição da vida do internauta também pipocam internet afora – homens que postam muitas selfies seriam psicopatas? As crianças da atualidade que usam a internet são infelizes?

Sean Penn, “El Chapo” e o mensageiro BBM

Em publicação feita no último sábado (9), a revista Rolling Stone afirmou que o ator Sean Penn entrevistou “El Chapo” meses antes da captura do narcotraficante. No artigo, Penn menciona o BBM (BlackBerry Messenger), app usado como parte das precauções de segurança por parte do cineasta.

Segundo Penn, as perguntas feitas a “El Chapo” foram todas enviadas através do mensageiro – tido como seguro também pela equipe do criminoso, que usava o serviço da BlackBerry para se comunicar.

...

Você é a favor ou contra o fornecimento de dados pessoais por redes sociais ao governo quando informações privadas podem levar à captura de um suspeito? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: