Após a notícia de que o Telegram é a principal plataforma de comunicação usada por membros do Estado Islâmico, a empresa responsável pelo mensageiro bloqueou 78 canais relacionados ao EI cadastrados em 12 idiomas diferentes. A intenção é dificultar a publicação de material que promove a ISIS e cortar, também, a conexão entre os membros do grupo terrorista.

“Estamos perturbados em saber que os canais públicos do Telegram estão sendo usados pela ISIS para distribuir sua propaganda. Estamos revisando cautelosamente as denúncias enviadas ao abuse@telegram.org e tomando as providências devidas para bloquear as ações desses canais”, publicou a empresa.

Um novo mecanismo dedicado à coleta de denúncias feitas por usuários do Telegram será lançado ainda nesta semana através de uma atualização, informou ainda a companhia. Segundo Rita Katz, diretora do grupo de inteligência SITE, alguns dos canais bloqueados tinham mais de 10 mil seguidores; até então, o canal Nashir, que representava o grupo terrorista, contava com cerca de 4.500 assinantes.

Rita enfatiza que a liberdade de expressão dos usuários é inviolável e que comentários que criticam as ações de quaisquer governos não serão censurados. “Enquanto nós, de fato, bloqueamos canais e bots terroristas relacionados à ISIS, não iremos bloquear ninguém que expressa opiniões alternativas pacificamente”.

Os ataques realizados pelo Estado Islâmico em Paris colocaram diversas questões relacionadas à segurança em xeque. As ferramentas de comunicação usadas pelo grupo terrorista para a organização dos atentados, assim, agora são alvo de fiscalizações rigorosas por parte de autoridades do mundo todo. De acordo informações do Instituto de Pesquisa do Oriente Médio, o ISIS usa (ou usava) o Telegram como principal aplicativo de comunicação (saiba mais aqui).

...

Quais medidas de segurança você aplica às suas redes sociais? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: