CEO do Twitter zomba do conceito 'metaverso' do Facebook

1 min de leitura
Imagem de: CEO do Twitter zomba do conceito 'metaverso' do Facebook
Imagem: dole777/Unsplash/Reprodução
Avatar do autor

Jack Dorsey, CEO do Twitter, parece não gostar do conceito de “metaverso” que está sendo promovido pelo Facebook. Atualmente, a rede rival planeja uma "nova versão da internet" em que as pessoas usam dispositivos VR para acessar um espaço virtual.

Aparentemente, o executivo considera a proposta como algo distópico. Para isso, Dorsey se apoiou no tweet de um usuário da sua plataforma para expressar a opinião.

O usuário em questão apontou possíveis semelhanças entre as ambições de Mark Zuckerberg e o metaverso do Facebook com um trecho do livro Snow Crash (1992). Uma passagem da obra de ficção científica de Neal Stephenson diz:

"[Metaverso] é originalmente descrito como um mundo virtual pertencente a empresas onde os usuários eram tratados como cidadãos em uma ditadura corporativa distópica".

Por fim, o usuário encerrou o tweet perguntando se o escritor norte-americano estava correto sobre o assunto. Então, Dorsey respondeu à mensagem de forma sarcástica: "Narrador: Ele estava".

Jack Dorsey, CEO do Twitter (à esquerda), e Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (à direita).Jack Dorsey, CEO do Twitter (à esquerda), e Mark Zuckerberg, CEO do Facebook (à direita).Fonte:  Joe Raedle/Getty Images/AP Photo/Mark Lennihan/Reprodução 

O Metaverso do Facebook

Em julho deste ano, Mark Zuckerberg revelou o desejo de transformar o Facebook em uma "companhia metaversa". Comprometida com essa ideia, a big tech lançou um fundo de US$ 50 milhões para o desenvolvimento do novo produto.

Dispensando os computadores e navegadores, os espaços virtuais deverão ser acessados por dispositivos de realidade virtual. Dessa maneira, os usuários deverão explorar uma grande sala virtual interativa com outras pessoas de diferentes localidades.

Nesta semana, o Facebook anunciou que planeja contratar 10 mil pessoas nos próximos cinco anos para ajudar na construção do metaverso. Além disso, a empresa está considerando mudar o próprio nome para focar essencialmente nas "ambições metaversas".