O Facebook vive uma crise após vir à público a informação de que a Cambridge Analytica obteve acesso a dados privados de 87 milhões de usuários da rede. Os questionamentos sobre as práticas da rede social em relação a gestão dos dados de seus participantes não param e parecem abalar a confiança das pessoas na plataforma.

Um novo indicativo disso é uma pesquisa feita pela Mozilla, a criadora do Firefox e uma das organizações da web mais publicamente comprometidas com a privacidade e a liberdade na internet. Ela perguntou às pessoas como elas se sentiam em relação ao Facebook e recebeu respostas de 47 mil usuários da rede.

Desse montante, a maioria (76%) garante estar muito preocupada com a segurança de suas informações privadas armazenadas pela rede social. Entretanto, somente uma pequena parte (26%) afirmou ter feito alguma alteração em suas contas após o escândalo da Cambridge Analytica.

FacebookPesquisa feita pela Mozilla sugere desconfiança do público em relação ao Facebook.

O mais curioso é que também a maioria (65%) afirmou considerar a si mesmo como o principal responsável pela garantia de sua privacidade, e não o governo ou alguma corporação. Por fim, à luz da possibilidade de haver uma versão paga do Facebook, uma parcela pequena dos participantes (12%) garantiu estar disposto a pagar para usar a rede social de Mark Zuckerberg sem ser alvo de anúncios.

Mozilla deixa claro que não se trata de uma pesquisa científica, afinal não há qualquer tipo de método de amostragem para selecionar o público ou os dados. Mesmo assim, é um indício de como muita gente anda preocupada com a maneira como o Facebook lida com as suas informações. Os dados completos da pesquisa podem ser conferidos aqui.

Cupons de desconto TecMundo: