Guarde a data na memória: 30 de setembro de 2014 é histórico para a internet, especialmente no Brasil. O dia marca o fim do Orkut, a rede social mais adorada em todo o país, que viveu o auge durante a primeira década dos anos 2000. O site nunca foi uma unanimidade internacional e, possivelmente por conta da concorrência desleal do Facebook e a existência do Google+, perdeu espaço tão rápido quanto conquistou, e agora chegou ao fim.

Além de relembrar os melhores momentos que você com certeza teve na rede social pelo infográfico acima, abaixo você confere mais um pouco sobre o site que deixará tantas saudades, assim como um velho amigo que precisa ir embora.

"Eu vou me lembrar de você / Você se lembrará de mim? / Não deixe a vida passar ao seu lado / Chore, mas não pelas memórias". (Sarah McLachlan – I Will Remember You. Tradução literal.)

Orkut quem?

Orkut Büyükkökten nasceu em 6 de fevereiro de 1975 na cidade de Konya, na Turquia. Graduou-se em Engenharia da Computação e Ciência da Informação na terra natal e foi em busca do grau de mestre e Ph.D nos Estados Unidos, na Universidade de Stanford. A pesquisa do rapaz era focada em mecanismos de busca e assistentes pessoais, como equipamentos da Palm.

O que pouca gente sabe é que ele também é o responsável por outra rede social, o Club Nexus, que talvez tenha sido a primeira exclusivamente para estudantes nos Estados Unidos — ela foi inaugurada em 2001, três anos antes de Mark Zuckerberg "pegar emprestado" a ideia de seus colegas e lançar um tal [thefacebook].com. Essa história é contada no livro “The Facebook Effect”, de David Kirkpatrick, obra inédita no Brasil.

Insatisfeito com o trabalho (a rede social era, veja só, difícil demais de ser usada), ele deixou o Club Nexus nas mãos dos sócios e foi trabalhar no Google mais ou menos em 2002. Com a ideia para uma nova rede social, Orkut correu atrás da chefia com o projeto — e ninguém menos que Marissa Mayer, hoje CEO do Yahoo!, na época executiva de produtos da rival, encorajou o jovem programador.

Os nomes para a rede social variavam entre "Eden" e "Paradise", mas Büyükkökten não conseguia achar algo que se encaixava em seu conceito. Foi aí que um supervisor do rapaz notou que o domínio Orkut.com pertencia ao próprio sujeito e, com a aprovação de Mayer, sugeriu a nomeação. A rede social nasceu em 24 de janeiro de 2004, duas semanas antes do embrião do Facebook. E qual foi a primeira comunidade? A da Universidade de Stanford, claro. Atualmente, ele está envolvido em outro projeto, o Hello Network.

"O tempo não pode reparar / Os sussurros descuidados de um bom amigo / Para o coração e a mente / (...) Então eu nunca mais vou dançar novamente / Do jeito que dancei com você" (Careless Whisper – George Michael. Tradução literal)

Uma rede social para chamarmos de nossa

Não há como explicar o porquê de o Orkut ter conquistado tamanha popularidade entre os brasileiros. O fato é que, desde 2008, a rede social é gerenciada do escritório brasileiro da Google, em Belo Horizonte – tamanha a importância que o país atribui ao serviço.

De acordo com uma pesquisa de julho de 2014 do Serasa Experian, o Orkut era, na época, a décima rede social mais acessada do Brasil, com 0,39% do mercado. No mês seguinte, entretanto, ele saiu do top 10 para nunca mais voltar. Em agosto, os demais sites estão assim distribuídos, sob uma classificação de participação de visitas:

  • 1. Facebook: 66,69%
  • 2. YouTube: 23,09%
  • 3. Yahoo! Respostas: 1,53%
  • 4. Twitter: 1,39%
  • 5. Habbo Brasil: 0,92%
  • 6. Instagram: 0,73%
  • 7. Google+: 0,65%
  • 8. Badoo: 0,64%
  • 9. Bate-papo UOL: 0,42%
  • 10. LinkedIn: 0,41%

Mesmo com números tão baixos, ainda somos a nação que mais se importa com o site. De acordo com dados da Alexa, o Brasil tinha, em julho deste ano, 51,7% do percentual de visitantes do Orkut – e a Índia, que também sempre foi um polo de visitação da rede social, aparece somente com 13,3%.

O Orkut foi oficialmente ultrapassado no Brasil, segundo o Ibope Nielsen, em setembro de 2011. A partir dessa data, ele nunca mais foi o mesmo: as pessoas começaram a migrar para os rivais, scraps e depoimentos eram cada vez mais raros e as comunidades tinham dois destinos – ou eram completamente abandonadas ou viraram redutos de joguinhos e vírus.

"Você tinha a graça de manter-se de pé / Enquanto aqueles à sua volta rastejavam (...) E parece a mim que você viveu a sua vida / Como uma vela ao vento / Nunca sabendo a que se agarrar / Quando a chuva começava / (...) Sua vela se queimou muito antes / Da sua lenda se apagar". (Elton John – Candle in the Wind. Traução literal.)

O que fazer para matar as saudades?

Não será mais possível postar no Orkut, receber scraps ou criar perfis, mas um arquivo com todas as comunidades públicas está disponível online a partir de 30 de setembro de 2014. A empresa oferece uma ferramenta para que você realize a sincronia de fotos e outros conteúdos para não perder muito do material acumulado por lá ao longo dos anos.

Se você não quiser que seu nome ou postagens sejam incluídos no arquivo de comunidades, você pode remover o Orkut permanentemente da sua conta Google e, assim, acabar com a sua história por lá.

“Esse é o fim / Belo amigo / Esse é o fim / Meu único amigo, o fim / De nossos planos elaborados, o fim / De tudo o que se sustenta, o fim / Sem segurança ou surpresa, o fim / Eu nunca mais ou olhar em seus olhos... de novo”. (The Doors – The End. Tradução literal.)

Cupons de desconto TecMundo: